20 de abril de 2015

Pesquisa revela que brasileiro consome menos refrigerante

segunda-feira, abril 20, 2015 - Nenhum Comentário
Foto: Espaço Você Saudável / Reprodução. 


Uma pesquisa lançada recentemente pelo Ministério da Saúde mostra que os brasileiros consumiram 20% menos refrigerante nos últimos seis anos. É o que aponta o estudo realizada pela Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico de 2014 (Vigitel 2014). Entretanto, de acordo com a pesquisa, apesar da queda no consumo, 21 % dos entrevistados disseram que bebem refrigerante até cinco vezes por semana.

A diretora de Vigilância e Promoção da Saúde do Ministério da Saúde, Deborah Malta, alerta para os riscos que o excesso de refrigerante traz para a saúde. “Em geral, os refrigerantes têm grande adição de açúcar e isso pode levar riscos inerentes à saúde, tanto em relação à obesidade, ao diabetes, como também inúmeras doenças cardiovasculares. E, além disso, na sua forma dietética tem, além de inúmeros outros componentes, o teor de sal, que também produz doenças cardiovasculares com destaque para a hipertensão arterial”, destaca.

Consumir refrigerante em excesso faz muito mal à saúde. A bebida, nos primeiros dez minutos no organismo, corresponde a cerca de dez colheres de chá de açúcar no estômago, quantidade que corresponde a 100% do que é recomendado diariamente. Além disso, o refrigerante altera a pressão arterial e aumenta a gordura corporal. A diminuição do consumo de refrigerantes e de sucos industrializados é uma das recomendações que podem ser encontradas no Guia Alimentar para a população brasileira.

Pesquisa

O retrato do estilo de vida (alimentação, atividades físicas) da população brasileira foi mostrado na pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel). No estudo, 52,5% dos brasileiros estão acima do peso ideal, de acordo com dados de 2014. Mas uma boa noticia é que o índice de obesidade ficou estacionado.
Ilustração: Revista Viva Saúde / Reprodução. 

Há nove anos, segundo a pesquisa, o excesso de peso da população brasileira atingia 43% das pessoas – o que representa um crescimento de 23% no período. Também aumentou a proporção de quem tem mais de 18 anos com obesidade (17,9%). É considerada obesa a pessoa com índice de massa corporal (IMC) acima de 30. O IMC de “excesso de peso” varia entre 25 e 30.

“O sobrepeso já traz doenças metabólicas como diabetes e hipertensão. Isso exige o uso diário de, pelo menos, cinco medicamentos com um custo mensal de 500 e mil reais. Acaba sendo um alto custo para sociedade, com remédios, planos de saúde, hospitais”, explica o presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, Josemberg Campos.

No mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 31% dos adultos com 15 anos ou mais não são suficientemente ativos. Esse índice no Brasil, segundo o Vigitel 2014, que soma apenas as pessoas com mais de 18 anos, é de 48,7%. O desafio assumido pelo Ministério da Saúde é reduzir esse percentual a 10% até 2025.






Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, curta a Fan Page no Facebook, siga a company page no LinkedIn, circule o blog no Google Plusassine a newsletter e baixe o aplicativo do blog.









Jornalista



“Sete Vidas” mostra que emoção e cotidiano rendem uma boa novela

segunda-feira, abril 20, 2015 - Nenhum Comentário


De uns tempos para cá, a Rede Globo tem elevado o nível das novelas das seis. O horário se tornou uma espécie de laboratório da emissora para colocar novelas que apresentam uma linguagem mais caprichada em relação à faixa das sete e das nove. E esta premissa pode ser vista na atual novela das 18h, Sete Vidas.

Escrita por Lícia Manzo e dirigida por Jayme Monjardim, Sete Vidas conta a história de sete meios-irmãos de um doador de sêmen que, em um dado momento da vida, resolvem se encontrarem. A novela ainda tem uma deixa importantíssima nos dias atuais que é a discussão da nova configuração familiar, no qual os laços de amor falam mais forte que os laços de sangue.

Numa série de idas e vindas, os personagens de Sete Vidas são fortes, carismáticos e bem construídos. E a medida que cada irmão vai se encontrando, um passa a interferir na vida do outro de maneira positiva, de forma humana e sensível. Se Lícia Manzo já tinha chamado a atenção do público e da crítica com a excelente A Vida Da Gente, agora em Sete Vidas a autora corrigiu alguns erros da primeira novela: carregou menos no drama e apostou mais no cotidiano.

Leia também:

Sete Vidas passaria fácil por uma novela de Manoel Carlos – quando o veterano autor estava em sua melhor fase, como em Por Amor, Laços de Família e Mulheres Apaixonadas. O folhetim não tem vilões desesperados por poder e vingança, mas sim pessoas comuns que amam e erram na mesma intensidade que a gente na vida real. A tacada de mestre de Lícia Manzo é não deixar a novela se arrastar como Manoel Carlos deixou suas últimas tramas, como em Páginas da Vida, Viver a Vida e Em Família.

Sete Vidas é ágil, mesmo sendo um drama clássico. E quando a gente pensa que os personagens vão por um caminho, acontece algo na vida deles que faz o mundo girar de cabeça para baixo. Assim como acontece na nossa vida. Somos protagonistas das nossas decisões e as nossas escolhas interferem diretamente no nosso presente e futuro.
Elenco da novela das seis, "Sete Vidas". Fotos: TV Globo / Reprodução. 

Outro mérito da novela é a direção caprichada de Jayme Monjardim. Os takes de paisagens que é tão característico do diretor dialogam exatamente com a emoção dos personagens e não ficam desconexos da história. Somado a isso vem outro trunfo: a sensibilidade da trilha sonora que imprime toda essa vontade da autora e do diretor de contar uma história do cotidiano que poderia acontecer com qualquer um do outro lado da telinha.

No entanto, é possível creditar o sucesso de Sete Vidas a qualidade do elenco. Ninguém está demais ou de menos na novela. Os poucos personagens dão uma leveza à história que é recheada de dramas familiares. A sintonia do elenco, principalmente dos casais protagonistas, Miguel (Domingos Montagner) e Lígia (Debora Bloch), Pedro (Jayme Matarazzo) Júlia (Isabelle Drummond), é outro grande momento do folhetim.

Em um momento de crise na teledramaturgia brasileira, onde o mais do mesmo impera e as emissoras estão desesperadas para ver o que dá audiência, Sete Vidas mostra que o gênero drama, quando bem escrito, sem ser piegas, é ainda a melhor forma de se contar uma novela contemporânea e que toca diretamente o coração do público. Talvez, falte isso nas outras novelas: mais sensibilidade. O mundo real já é demasiadamente cruel.







Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, curta a Fan Page no Facebook, siga a company page no LinkedIn, circule o blog no Google Plusassine a newsletter e baixe o aplicativo do blog.










Jornalista



19 de abril de 2015

Livro “Saúde Indígena em Perspectiva" faz panorama desta área no Brasil

domingo, abril 19, 2015 - Nenhum Comentário


Aumentar a visibilidade das vozes indígenas no cenário sociopolítico brasileiro. Esta é a proposta do livro Saúde Indígena em Perspectiva: explorando suas matrizes históricas e ideológicas, lançado pela Editora Fiocruz. A publicação foi organizada pelas pesquisadoras Carla Costa Teixeira, da Universidade de Brasília (UnB), e Luiza Garnelo, da Fiocruz Amazônia.

Os oito capítulos que compõem a coletânea oferecem um panorama bastante consistente sobre o campo da saúde indígena no Brasil. O livro analisa o contexto político e institucional que originou o Sistema Único de Saúde (SUS) e, particularmente, o Subsistema de Saúde Indígena.

A obra ainda revela como uma política que defendia uma atenção diferenciada à saúde indígena acabou empreendendo ações que, em pleno século XXI, pouco diferem daquelas dos anos 1940. Nos textos, é possível conferir uma posição crítica a implantação de políticas públicas e sociais para que os cuidados com a saúde indígena não sejam desrespeitados pelos profissionais de saúde.

Essa permanência está associada a concepções baseadas numa tradição higienista. Ao persistir aquela ideia das culturas indígenas como inferiores ou insuficientemente desenvolvidas, segue-se o velho processo civilizatório, que deslegitima os saberes e os modos indígenas de pensar e agir. “Assim, o que seria diferenciado, na atenção prestada à saúde, torna-se mais afeto aos valores do colonizador, inviabilizando a preconizada diferenciação da saúde”, afirmam as organizadoras.

Saúde Indígena

Em Minas Gerais, as tribos indígenas recebem atenção especial da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), através da Coordenadoria Estadual de Saúde Indígena (CESI). O objetivo é assegurar o acompanhamento e a atenção à saúde da população indígena residente no estado, para garantir o acesso ao serviço de saúde com qualidade e, ao mesmo tempo, valorizar suas tradições e costumes.
Diversidade de tribos indígenas no Brasil mostra o quanto a cultura dos índios é diversa. Foto: Creative Commons / Reprodução. 

A CESI atende indígenas de dez etnias (Pataxó, Cinta Vermelha Jundiba, Aranã, Maxakali, Xukuru Kariri, Mukurim, Pankararu, Kaxixó, Krenak e Xakriabá), residentes em aldeias e reservas de 15 municípios do estado (Açucena Araçuaí, Bertópolis, Caldas, Campanário, Carmésia, Coronel Murta, Guanhães, Itapecerica, Ladainha, Martinho, Campos, Resplendor, Santa Helena de Minas, São João das Missões e Teófilo Otoni).

A Política Estadual de Saúde Indígena é dividida em eixos de atuação em diversos programas com ações de saúde mental, resgate e manutenção do conhecimento indígena em sua medicina tradicional, oficinas e troca de experiências para garantir uma cobertura ampla e diversa.

Também são direcionados incentivos mensais para garantir as atividades dentro das aldeias pelas equipes multidisciplinares de saúde, como as equipes do Programa Saúde da Família (PSF) que atuam em municípios com jurisdição indígena em ações de estruturação da Atenção Primária e Redes de Atenção à Saúde.

Atualmente, cerca de 640 mil indígenas são atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) dentro do Programa Atenção Básica do Ministério da Saúde. Mais de 15 mil profissionais de saúde integram equipes multidisciplinares que visitam regularmente aldeias de todo o Brasil.








Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, curta a Fan Page no Facebook, siga a company page no LinkedIn, circule o blog no Google Plusassine a newsletter e baixe o aplicativo do blog.










Jornalista



18 de abril de 2015

Exposição "Movimentos" chega ao Centro Cultural Banco do Brasil

sábado, abril 18, 2015 - Nenhum Comentário


No dia 22 de abril, a exposição Movimentos chega ao Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) de Belo Horizonte, com vernissage aberta ao público, a partir das 19h. A entrada é franca. A mostra individual, do artista André De Castro, retrata jovens de diferentes nacionalidades que participaram das manifestações democráticas no Brasil, em 2013, além de Turquia, Estados Unidos e Grécia.

A exposição é composta por diversas telas em silkscreen com uma série de retratos e referências destes jovens. As telas formam um grande painel, que já foi exibido durante a Arte Basel em Miami, BKLYN fair, no Dumbo-Brooklyn, e ocupou a Opus Galery no Chelsea, em Nova York. O painel, iniciado em 2013 e em constante expansão, será concluído nas exposições no Brasil com telas inéditas.

O painel, iniciado em 2013 e em constante expansão, será concluído nas exposições no Brasil com telas inéditas. Após a temporada no CCBB da capital mineira, a exposição fará “escala” no CCBB de Brasília, em junho, de onde seguirá para a Caixa Cultural, no Rio de Janeiro, em agosto e setembro.

O contato com os manifestantes aconteceu pelo mesmo meio que eles utilizaram para organizar as passeatas na época: a internet. Com ajuda da rede, André identificou e reuniu uma série de referências de cada jovem – cores, imagens, músicas e objetos, por exemplo – para criar uma composição única, mostrando as singularidades de ideias e culturas de cada um.

“Busquei contato por hashtags, em grupos do Facebook, no Twitter... A grande maioria dos participantes são jovens que estão sempre conectados, e assim que os identifiquei, conversei sobre o projeto e pedi a cada retratado que enviasse uma foto de rosto e respondesse a uma série de perguntas relacionadas ao movimento político de seu país e sua identidade”, conta o artista, que convida o público a comparar referências e perceber possíveis pontos em comum entre as colagens.
Telas da exposição "Movimentos". Fotos: Reprodução.

A escolha da técnica também não foi por acaso. O silkscreen – ou serigrafia, como é conhecida no Brasil – é associado a movimentos políticos históricos e a mitificação de personalidades, como Che Guerra, Marilyn Monroe e o presidente Barack Obama, por exemplo. No entanto, a intenção não é ​​elevar heróis ou representantes dos movimentos, mas usar essa técnica para valorizar a agência de todos, valorizar o conjunto formado por indivíduos únicos.

Cada imagem é um monoprint, uma estampa impressa em cópia única, que cria uma linguagem visual espontânea e gestual, sem registros ou alinhamentos. Na sala de exposição, as referências visuais de cada um são acompanhadas pelo áudio de trechos das músicas escolhidas por eles. Além de exposto em uma sala ambientada com trechos de músicas mencionadas pelos jovens

As imagens são organizadas no painel não por nacionalidade, mas em ordem alfabética, permitindo combinações espontâneas entre os retratados. A exposição no Brasil conta com texto inédito do historiador Daniel Aarão Reis e será publicado um catálogo bilíngue pela Aeroplano Editora e Pratt Press. O painel completa também está disponível no site oficial do artista.

Sobre o artista

Nascido no Brasil e radicado nos Estados Unidos, o artista visual André De Castro vive e trabalha ​​entre Rio de Janeiro e o Brooklyn. Em 2011, mudou-se para Nova York para fazer MFA na Pratt Institute e, desde 2013, mantém seu estúdio no Brooklyn, além de trabalhar como diretor de arte na Saatchi and Saatchi.

Em 2009, André publicou seu primeiro livro “Funk – que batida é essa”, um conjunto de ilustrações que retratam o funk carioca, fruto do projeto de graduação na PUC-Rio.

Durante o mestrado, participou do livro “Five Conversations on Graphic Design”, publicado pela Pratt Press. O artista venceu, em 2013, o prêmio "Never Stop Never Settle", promovido pela Pratt Institute e Hennessy US com o projeto Movimentos.

No ano seguinte, André passou a participar da Opus Project Space como artista e teve sua primeira exposição solo na Opus Gallery em NY, no Chelsea. Este ano, para dedicar-se à exposição “MOVIMENTOS”, aqui no Brasil, o artista transferiu seu estúdio para a antiga fábrica da Behring, no Rio de Janeiro.






Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, curta a Fan Page no Facebook, siga a company page no LinkedIn, circule o blog no Google Plusassine a newsletter e baixe o aplicativo do blog.









Jornalista



17 de abril de 2015

#CaféRapidinhas: Inhotim, Entre Abelhas e Rachel Sheherazade

sexta-feira, abril 17, 2015 - Nenhum Comentário


Vamos dar um giro nas principais notícias do dia e outras que você só vê com exclusividade aqui no @cafecnoticias? Topa? Então, escolha o seu café preferido e fique bem informado:

Coxinha

Reacionária ao extremo, a jornalista Rachel Sheherazade, que apresenta o telejornal SBT Brasil, no SBT, decidiu culpar a presidente Dilma Rousseff e o PT pela queda de audiência de sua página no Facebook. De acordo com Sheherazade, o encontro da presidente do Brasil com e Mark Zuckerberg resultou no declínio de audiência da página dela na rede social. Nas redes sociais, ela classificou o episódio como “censura petista”. Rapidamente, a jornalista se transformou em piada nas redes sociais, uma vez que esse fato não procede. Na verdade, em março deste ano o Facebook fez uma limpa em perfis falsos e inativos na rede social, o que ocasionou uma queda significativa em muitas Fan Pages.

Término

A Editora Abril confirmou, na tarde dessa quinta-feira (16/04), o fim das edições regionais da revista Veja em Belo Horizonte e Brasília-DF. Ainda, de acordo com a editora, os sites das publicações continuarão ativos, com foco em roteiros culturais e na seção “Comer & Beber”. A última edição das revistas irá circular no próximo sábado (18/04). Pelo menos 40 profissionais teriam sido demitidos após a decisão de encerrar as Vejinhas (apelido dado às edições regionais da Veja), o que ainda não foi confirmado oficialmente pela  editora.

Reportagem

Até o dia 15 de maio, a Agência Pública – especializada em jornalismo investigativo, está com inscrições abertas para o seu 5º concurso de microbolsas para reportagens. O tema deste ano é “Criança e água”, muito em função da crise hídrica que estamos vivendo. A proposta é contar histórias de personagens que dificilmente veríamos na mídia tradicional. As inscrições podem ser feitas através de um formulário online. Os repórteres que se inscreverem devem apresentar a proposta de pauta, pesquisa inicial e plano de trabalho. As pautas vencedoras serão selecionadas anunciadas no dia 21 de maio.

Política

O jornalista, locutor esportivo e deputado estadual, Mário Henrique Caixa (PCdoB), assumiu nesta quinta-feira (16/04), o comando da Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais (Setur), na Cidade Administrativa. Até a última semana, a pasta era representada pelo Dr. Geraldo Pimenta, do mesmo partido. Como jornalista, ela já passou por cinco continentes e mais de 39 países, colecionando cinco coberturas de Olimpíada. De acordo com o secretário, será um grande desafio atuar na área do turismo. Em 2016, Minas Gerais irá sediar alguns jogos das Olimpíadas, além de receber as delegações Reino Unido, China, Canadá e Irlanda.
Mário Henrique Caixa ao lado do Governador Fernando Pimentel. Foto: Setur / Reprodução. 



Parceria

A Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão (SET) firmou parceria com o curso de jornalismo do Departamento de Comunicação Social da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (FAAC) da Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho (UNESP) para a realização do projeto PROEX – Tecnologia em Televisão. O convênio visa o trabalho conjunto entre a UNESP e a SET para a realização de uma atividade de formação e desenvolvimento dos futuros jornalistas que irão lhe trabalhar com a produção de conteúdo para o mercado audiovisual. Para participar do PROEX, os interessados devem fazer sua inscrição enviando um e-mail para: proextectv@gmail.com

Cinema

No primeiro papel dramático da carreira, o ator e humorista Fábio Porchat encarou o desafio de interpretar um personagem diferente de tudo que ele já fez na TV ou na internet. Em Entre Abelhas, filme que chega aos cinemas em 30 de abril, e dirigido por Ian SBF, Porchat dá vida a Bruno, um jovem perto dos 30 anos que deixa de enxergar as pessoas. “É muito mais difícil você contracenar com alguém fingindo que ele não está. É mais fácil não ter ninguém ali, do que fingir que tem”, confessa o ator. Abaixo, confira mais detalhes no trailer oficial de Entre Abelhas:


Leão

Você tem dúvidas sobre Imposto de Renda? É que até o dia 30 de abril, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) oferecerá gratuitamente um posto de esclarecimento de dúvidas sobre este assunto para a população da capital mineira. Pessoas físicas que tiverem dúvidas sobre o preenchimento da Declaração Anual podem procurar a sede da CDL/BH, localizada à Avenida João Pinheiro, 495, bairro Funcionários, de segunda a sexta-feira, de 08h30 às 12h.

Curso

O Cine 104, localizado no Espaço CentoeQuatro (Praça Ruy Barbosa, 104 – Centro – BH) promove nos dias 25 e 26 de abril, das 14 às 17 horas, um Curso Livre com Adirley Queirós, diretor do longa Branco sai, Preto fica e um dos mais renomados cineastas brasileiros dos últimos anos. O curso será oferecido no âmbito do projeto “Encontros com Realizadores”, iniciativa do Cine 104 que propõe a troca de conhecimento entre realizadores, estudantes, profissionais e público interessado em cinema. Serão oferecidas 70 vagas, as inscrições custam R$ 50,00 e podem ser feitas pelo Sympla.

Design

Durante a abertura dos eventos Salone Del Mobile e Fuorisalone Milano, na cidade de Milão, na Itália, foi inaugurada a exposição “Sou do Mundo, sou Minas Gerais”. A iniciativa ocorre dentro do Brazil S/A, espaço que promove o relacionamento entre empresas e profissionais brasileiros dos segmentos de arquitetura, arte, decoração e design, com o apoio do SEBRAE, além de buscar novas oportunidades de negócios para o setor, apresentando trabalhos e discutindo propostas que evidenciam a cultura brasileira e seu valor artístico no design internacional.
Foto: Mob Arte / Reprodução. 

Desconto

Professores e outros profissionais que atuam no universo educacional passam a ter meia-entrada garantida no Instituto Inhotim, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Para usufruir desse benefício, os interessados devem apresentar, no ato da aquisição da entrada, um comprovante de vínculo empregatício com alguma instituição formal, como o crachá ou contracheque. O benefício é resultado de uma parceria da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE-MG), das secretarias municipais e do Instituto Inhotim. Além disso, o espaço também passa a aceitar o cartão Vale-Cultura da operadora Sodexo para a aquisição de ingressos.

Homenagem

Será realizada na próxima terça-feira (21/4), em Ouro Preto, a 64ª edição da solenidade de entrega da Medalha da Inconfidência. Este ano, o orador da cerimônia será o ministro Ricardo Lewandowski, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF). O título foi criado em 1952 pelo então governador Juscelino Kubitscheck para homenagear pessoas que prestaram relevantes serviços para a promoção e desenvolvimento do estado. É a maior comenda concedida pelo Governo de Minas Gerais e possui quatro designações: Grande Colar, Grande Medalha, Medalha de Honra e Medalha da Inconfidência. A entrega é anual e terá transmissão da Rede Minas.







Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, curta a Fan Page no Facebook, circule o blog no Google Plusassine a newsletter e baixe o aplicativo do blog.











Jornalista




E-mail Newsletter

Cadastre seu e-mail e seja o primeiro a ficar sabendo o que rola no Café com Notícias

Adaptado por Giselle Carvalho | Imagem Header Crédito Psyho .
back to top