27 de agosto de 2014

"Masterchef" estreia na Band para cativar público que acompanha programas e realitys de culinária

quarta-feira, agosto 27, 2014 - Nenhum Comentário



Em TV nada estreia por acaso. De olho no sucesso de repercussão de programas e realitys shows de culinária, tanto na TV aberta, quanto na TV Paga, a Band estreia no próximo dia 02 de setembro, às 22h45, o MasterChef. Sob a apresentação da jornalista Ana Paula Padrão, a proposta do programa é revelar, entre tantos cozinheiros brasileiros, um grande chefe de cozinha.

Exibido em mais de 200 países, a versão brasileira do MasterChef terá 17 episódios e contará com três renomados chefs para julgar os pratos preparados pelos candidatos: Erick Jacquin (La Brasserie), Henrique Fogaça (Sal Gastronomia) e Paola Carosella (Arturito). O vencedor do reality ganhará um prêmio de R$ 150 mil, um Fiat Fiorino refrigerado e um curso de três meses na renomada escola gastronômica Le Cordon Bleu, em Paris, na França.

O MasterChef marca também a entrada de Ana Paula Padrão no mundo do entretenimento na TV, apesar da jornalista comandar com bastante êxito o portal de variedades Tempo De Mulher. Ana Paula havia se despedido do vídeo em 2009, quando saiu da bancada do Jornal da Record por onde atuou por quatro anos. Ela também ficou conhecida por trabalhar 18 anos na Rede Globo, onde apresentou o Jornal Nacional e o Jornal da Globo. Em 2005, ela assinou contrato com o SBT com a missão de ampliar o jornalismo da emissora e desenvolveu dois jornalísticos: o SBT Brasil e o SBT Realidade.

Agora na Band, Ana Paula Padrão encara mais uma mudança na sua carreira. "O MasterChef é um formato que mistura entretenimento com uma dose boa de realidade. Então, ele me deixa confortável e foi por isso que eu topei. Eu acho que, primeiro, vou me divertir muito fazendo. Segundo, é um bom treinamento, é uma boa fase de passagem do Jornalismo para o Entretenimento. Os competidores estão ali de verdade, dando seu melhor, executando uma função para chegar a um prêmio. Então não é apenas um reality, é um talent", conta Ana Paula.
Os jurados do MasterChef ao lado da apresentadora Ana Paula Padrão. Foto: TV Band / Reprodução.

Para o diretor de conteúdo da Band, o argentino Diego Guebel, a atração vem reforçar o horário nobre da emissora. "A chegada de MasterChef certamente contribuirá para a qualidade do conteúdo em nosso horário nobre. O programa foi escolhido porque é um formato internacional que une duas paixões brasileiras: cozinha e entusiasmo por competição. Além disso, também gostamos da ideia de descobrir um novo talento culinário no país".

O MasterChef é uma franquia britânica criada por Franc Roddam, em julho de 1990. Em 2005, teve o formato relançado pela BBC por meio dos produtores suíços Franc Roddam e John Silver e pelo produtor da série Karen Ross. As quatro maiores versões já criadas foram a série principal MasterChef; a MasterChef: The Professionals para chefs de cozinha profissionais; Celebrity MasterChef com celebridades e a Junior MasterChef, uma versão criada e adaptada para crianças.

Na Cozinha

Houve um tempo em que os programas de culinária eram a sensação da TV. Na TV aberta, por exemplo, esse conteúdo foi transformado em quadros de poucos minutos ou desapareceram de vez. Com isso, o formato migrou e se fortaleceu na TV Paga.

Atrações como o Programa da Palmirinha, na FOX, e Tempero de Família, Bela Cozinha e Cozinha Prática, no GNT, rendem não só audiência, mas repercussão nas redes sociais e, principalmente, patrocinadores de olho em um público cada vez mais segmentado: os amantes do forno e fogão.

Atento a esse filão, o Masterchef estreia na tela da Band colado no sucesso de outros dois realitys bem sucedidos na TV. O primeiro é o SuperChef, exibido como quadro no programa Mais Você, de Ana Maria Braga, exibido nas manhãs da Rede Globo. A atração já teve algumas versões com anônimos, mas ganhou sobrevida com a edição celebridades e tem garantido ótimos números de audiência, além de uma boa repercussão nas redes sociais.
Olivier Anquier e os jurados do reality show "Cozinheiros em Ação". Foto: GNT / Reprodução.

O segundo, trata-se do reality show Cozinheiros em Ação, que atualmente está no ar em sua 2ª temporada nas noites de quinta-feira, às 20h30, no canal GNT, na TV Paga. Apresentado por Olivier Anquier, a atração tem como jurados os chefs profissionais Renata Vanzetto, Mônica Rangel e Ivan Achcar. Com 13 episódios, o reality tem como proposta premiar o cozinheiro que fizer o melhor prato caseiro do País com R$ 10 mil para uma viagem gastronômica, além de eletrodomésticos novíssimos para a cozinha.

Ainda sem data definida, o SBT também pretende entrar em breve no segmento dos realitys shows de culinária. No primeiro semestre deste ano, a emissora de Silvio Santos comprou da Fremantle Media o formato do reality show Hell’s Kitchen, que por aqui deve ganhar o título Cozinha sob Pressão. A proposta é testar as habilidades culinárias dos participantes e, especula-se, que o programa será comandado pelo chef Jefferson Rueda (o Jeffinho) e irá ao ar nas noites de domingo.






Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, curta a Fan Page no Facebook, circule o blog no Google Plusassine a newsletter e baixe o aplicativo do blog.








Jornalista




26 de agosto de 2014

#CaféRapidinhas: Google Brasil, Prêmio da Abap-MG e Bienal do Livro de Minas

terça-feira, agosto 26, 2014 - Nenhum Comentário


Vamos dar um giro nas principais notícias do dia e outras que você só vê com exclusividade aqui no @cafecnoticias? Topa? Então, escolha o seu café preferido e fique bem informado:


Buscador

O Google Brasil permaneceu em 1º lugar entre os buscadores mais utilizados no país, registrando 91,98% de participação nas buscas realizadas no período de quatro semanas consecutivas terminado em 26 de julho de 2014, de acordo com a Hitwise, ferramenta global de inteligência em marketing digital da Serasa Experian.

Em segundo lugar em participação nas buscas no país em julho está o Google.com, com 3,36%, seguido de Bing.com, com 1,90%. Yahoo! Brasil aparece em quarto lugar, com 1,61%, e o Ask Brasil em quinto, com 1,02%, da preferência dos usuários.

Site

A Agência Beep, de Belo Horizonte, foi responsável pelo novo projeto visual do site da Pão & Companhia. A empresa possui quase 40 franquias espalhadas pelo Brasil e precisava de um canal mais completo e organizado para conversar com seus principais públicos, que são os clientes finais e os interessados em abrir uma nova franquia.
Foto: Reprodução.

Por isso, a Beep desenvolveu um site que apresenta os produtos para todos os usuários, facilita a localização das padarias e traz as informações e documentos necessários para abrir uma franquia. Em breve, a Beep colocará no ar os novos sites da Casa Aguiar e do Easy Ice.

Prêmio

A Associação Brasileira de Agências de Publicidade, estadual Minas Gerais (Abap-mg) realiza, pelo sexto ano consecutivo, o Prêmio Abap de Sustentabilidade, criado em 2009, com o objetivo de ampliar a visibilidade das organizações e dos profissionais que melhor têm conseguido comunicar práticas corporativas sustentáveis.

As inscrições para a edição 2014 do Prêmio Abap já estão abertas e podem ser feitas até o dia 05 de setembro pelo site da Abap-MG. A intenção do prêmio é promover a questão da sustentabilidade no discurso de comunicação das empresas. Outras informações sobre o Prêmio de Sustentabilidade Abap-MG e sobre as condições para admissão de inscrições estão disponíveis no site oficial.

Festival

Até o dia 07 de setembro, acontece na cidade de Coronel Xavier Chaves, no Campo das Vertentes, em Minas Gerais, o 3º Festival Internacional de Escultura em Pedra. A proposta é valorizar o patrimônio cultural e da tradição de cantaria e da escultura em pedra na cidade.

No último dia do festival, os artistas terão suas esculturas expostas ao público e receberão a premiação de seis mil reais prevista em edital. Haverá também programação especial para o público, com exposição de peças em argila, confeccionadas em oficinas, e shows a partir das 17h. Para saber mais sobre o evento, clique aqui.

Corrida

A organização do Circuito Sest Senat de Caminhada e Corrida de Rua abriu mais 1200 vagas, sendo mil para corrida e 200 para caminhada para a etapa de Belo Horizonte. A prova será realizada no próximo dia 31 de agosto, na Lagoa da Pampulha, e já tinha preenchido as 1200 vagas que foram disponibilizadas inicialmente para a corrida.
Foto: Site Corrida de Rua / Reprodução.

A intenção é atender principalmente os trabalhadores em transporte, que não pagam a inscrição para participar. Para os demais interessados o valor é de R$ 25. A prova será realizada no Marco Zero da Lagoa da Pampulha, com início marcado para as 8h. A retirada dos chips começa as 6h30. O Circuito terá provas de 5 km e 10 km para corrida, e 2 km para caminhada. As inscrições podem ser feitas até o dia 27 de agosto pelo site oficial.

Literatura

A edição deste ano da Bienal do Livro de Minas abre as inscrições para Visitação Escolar, que prevê o acesso gratuito de milhares de estudantes ao maior encontro literário do Estado, abrirá o período de cadastramento no dia 25 de agosto, somente pelo site oficial.

Instituições públicas e privadas podem se cadastrar, e a expectativa é que 46 mil alunos tenham acesso ao evento, que acontece entre os dias 14 e 23 de novembro, no Expominas. Podem participar crianças e adolescentes com idade entre sete e 14 anos. As instituições ainda receberão, após a confirmação da data, um manual exclusivo, que ajuda a orientar e otimizar o tempo no evento.






Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, curta a Fan Page no Facebook, circule o blog no Google Plusassine a newsletter e baixe o aplicativo do blog.






Jornalista


25 de agosto de 2014

Sonegômetro em BH mostra o quanto perdemos quando os impostos não são pagos

segunda-feira, agosto 25, 2014 - Nenhum Comentário
Sonegômetro instalado na Praça Afonso Arinos, no centro de BH. Foto: Shirley Souza / Reprodução.
 

Quanto será que custa o Brasil? Se já sofremos com a alta carga tributária, imagina o que poderia acontecer se o País deixasse de arrecadar este dinheiro? O que algumas pessoas desconhecem é que todo dinheiro dos impostos é revertido para custear a máquina pública, o que inclui folha de pagamento dos servidores, investimentos e a manutenção dos projetos ligados à saúde, educação, segurança pública, entre outros.

Para sensibilizar a população sobre o quanto o Brasil deixa de arrecadar por ano em impostos, foi instalado na semana passada (21 e 22 de agosto), na Praça Afonso Arinos, no centro de Belo Horizonte, o Sonegômetro. O dispositivo é fruto de uma fórmula matemática elaborada pelo Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional (Sinprofaz).

A proposta do painel eletrônico móvel é mostrar o quanto de dinheiro já perdemos quando empresas e cidadãos deixam de pagar os seus impostos. E os números são impressionantes: mais de R$ 320 bilhões, só no primeiro semestre deste ano. Abaixo, confira o depoimento em vídeo da diretora do Centro de Estudos Jurídicos (CEJURIS) do Sinprofaz, Regina Hirose:

“A hora que começar a diminuir a sonegação, pode-se diminuir a carga tributária. Se isso não for feito, gera uma sensação de injustiça, e não se consegue diminuir os impostos. É preciso que o sistema não seja tão injusto com quem quer pagar. Precisamos deixar o ciclo vicioso e entrar no virtuoso”, avalia o presidente do Sindicato dos Auditores da Receita Federal em Belo Horizonte, Luiz Sérgio Soares.

O Sonegômetro foi lançado no ano passado pelo Sinprofaz e fica instalado em Brasília-DF. Depois de Belo Horizonte, ele e irá para São Paulo e Salvador. A capital mineira foi a 8ª cidade a receber o painel eletrônico com impostos sonegados no Brasil.

Para se ter uma ideia, o valor de imposto sonegado seria possível quitar a dívida ativa de Belo Horizonte, até julho deste ano, que é de R$ 7,3 bilhões. Este valor é quase seis vezes maior do que o PIB da capital mineira, calculado em R$ 55 bilhões.

Já se formos compararmos com o PIB de Minas Gerais, o montante de impostos sonegados ultrapassa o valor de R$ 400 bilhões. No vídeo abaixo, a repórter Regiane Moreira faz um balanço das ações do Sonegômetro em BH. Assista:






Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, curta a Fan Page no Facebook, circule o blog no Google Plusassine a newsletter e baixe o aplicativo do blog.





 


Jornalista



24 de agosto de 2014

Como posso usar as redes sociais durante a campanha eleitoral?

domingo, agosto 24, 2014 - Nenhum Comentário
Foto: Blog do Adelmo / Reprodução.


Na seção Café Convidado desta semana, a analista de mídias sociais da agência Redsuns, Débora Carvalho, escreveu um artigo bastante esclarecedor sobre como os profissionais de social media podem utilizar as redes sociais no período de campanha eleitoral para agregar apoiadores e não violar nenhuma regra do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Abaixo, confira o artigo:


Eleições e redes sociais: o que está acontecendo em 2014


Por Débora Carvalho*


Em outubro deste ano, o Brasil vai às urnas escolher presidente, governador, deputados e senadores. Com a “concorrência” alta, candidatos já acrescentaram em suas campanhas a presença nas redes sociais. E como chegar até o eleitor sem a sensação de invasão do que seria um momento de lazer? Ou sem parecer a propaganda obrigatória que assistimos na TV?

Muitos políticos já possuem páginas no Facebook e contas no Twitter, a fim de se aproximar do eleitorado, ouvindo críticas e sugestões. Muito continua sendo feito com base no exemplo de campanha de Obama, em 2008. Ele criou uma espécie de “rede social”, o MyBarackObama.com apenas para os eleitores criarem seus blogs de discussão.

Também fez o YouBama, onde os usuários podiam subir vídeos dizendo as razões pelas quais votaria ou não nele. Usando apenas 2% do seu budget (orçamento) para as redes sociais, Obama conseguiu arrecadar cerca 100 milhões de dólares para sua campanha, o que corresponde a 87% do total. Dando poder de voz às pessoas, ele não se tornou invasivo, recebendo apoio espontâneo e comícios lotados.

Mesmo que no Brasil a campanha dos candidatos não seja tão impactante, é de suma importância o cuidado em não tornar a propaganda na web um discurso rápido, daqueles que são veiculados na TV: “Candidato X, promete melhoria na educação, creches e escolas. Vote 0000”.

Em São Paulo, por exemplo, os candidatos já apostam em canais interativos, com rede de blogs, espaço e fórum para sugestões e vídeos. A novidade também está no uso do WhatsApp: a ideia pode ser vista como um meio de o eleitor ver o candidato como se fosse a “recomendação” de um amigo. No Rio de Janeiro, a prática já é comum, com candidatos repassando propostas por SMS e mensagens.
Foto: Folha de Vitória / Reprodução.

Vale ressaltar que estas redes não devem ser esquecidas após as eleições, o que acontece com frequência. Outro ponto importante é para que o eleitor se defenda, uma vez que existem algumas restrições sobre o que é permitido nas eleições. Estão vetados:

- Anúncios pagos como: Facebook Ads, LinkedIn Ads, Youtube Ads, Twitter Ads e banners em blogs de terceiros.
- Compra de banco de dados (comum para quem faz e-mail marketing).
- Divulgação de campanha em sites de pessoas jurídicas ou órgãos do governo.
- Mídia paga, como o Google Adwords.

Se alguns desses tópicos forem violados, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já colocou à disposição da população um canal online para denúncias. Mais que simplesmente fazer propaganda, a preocupação está em fazer com que o eleitor veja as mídias sociais como um canal de debate direto, humanizando a imagem política.

O que pode ser um desafio que vale a pena ser superado é que a população em geral deixe de ver a política como algo distante, que acontece lá em Brasília-DF, para algo que cada um pode opinar e mudar, se for trabalhado em conjunto.

No entanto, junto a este desafio vem o comodismo dos cidadãos: parece que em frente ao computador a coisa piora, com os “sofativistas”, termo para caracterizar os “ativistas de home office”. Eles provavelmente estarão muito presentes durante as eleições e caberá a cada cidadão tirar proveito dos debates e das campanhas que aparecerem na sua timeline.

Esse é o momento para deixar um pouco de lado as “selfies” para pensar no coletivo. Pois o marketing das campanhas políticas mudou, agora só falta o comportamento dos eleitores.



 _____________________________
*Perfil: Débora Carvalho é analista de mídias sociais da Redsuns, agência de comunicação digital com foco em performance on-line.





  • Para participar da seção Café Convidado, do blog Café com Notícias, basta enviar para o e-mail wander.veroni@gmail.com com um material de sua autoria. Pode ser uma reportagem (texto, áudio ou vídeo), artigo, crônica, fotografias, peças publicitárias, documentário, VT publicitário, spot, jingle, videocast ou podcast. Mas, atenção: pode participar estudantes de Comunicação Social (qualquer habilitação: jornalismo, publicidade, relações públicas, marketing, Rádio e TV, Cinema, Produção Editorial e Design Gráfico), profissionais recém-formados ou profissionais mais experientes de qualquer outra profissão. Participe e seja meu convidado para tomarmos um Café! OBSERVAÇÃO: Por ser editor responsável pelo Café com Notícias, o material enviado está sujeito a sofrer edição final para adequação da linha editorial abordada neste espaço.








Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, curta a Fan Page no Facebook, circule o blog no Google Plusassine a newsletter e baixe o aplicativo do blog.









Jornalista



O Desafio do Balde de Gelo em época de racionamento e de semancol

domingo, agosto 24, 2014 - Nenhum Comentário
Foto: iStock / Reprodução.


Meme é repetição. A grosso modo, uma brincadeira que passa de um internauta para o outro. Quando a gente menos espera, todo mundo compra a ideia do meme. Viraliza. Foi o que aconteceu esta semana com o Desafio do Balde de Gelo (Ice Bucket Challenge). Uns viram como uma brincadeira, outros como uma forma de celebridades ganharem destaque na mídia.

Em relação aos memes, sou desconfiado. De uns tempos para cá, esses memes famosos internacionalmente sempre tem algum apelo comercial ou fazem apologia a algo de gosto duvidoso. Não é porque uma celebridade que eu admiro joga água gelada na cabeça que eu vou fazer também. Espera aí. Antes, quis entender do que se tratava.

A brincadeira começou nos Estados Unidos como uma forma de desafiar personalidades de um modo geral a doarem uma quantia em dinheiro para ALS Association – uma organização norte-americana dedicada à pesquisa, conscientização e assistência a vítimas de esclerose lateral amiotrófica, popularmente conhecida como ELA ou Doença de Lou Gehrig; ou jogar um balde de água gelada na cabeça (como uma espécie de prenda, por não ter aceito o desafio).

Muitas celebridades doaram a quantia para a entidade de pesquisa e jogaram o balde em si mesmo. E isso foi um sucesso nas redes sociais, mesmo com a morte do criador do desafio. O mico viralizou e chegou ao Brasil. E no momento em que artistas locais começaram a postar nas redes sociais o seu “momento de balde”, pouco foi se falado para qual ou quais instituições os artistas brasileiros iriam fazer a sua doação. Deu a entender que o povo viu nisso uma oportunidade para ganhar visibilidade e não para promover entidades de pesquisas nacionais de apoio a pacientes do ELA.

Com o aumento das críticas em relação a esta atitude dos nossos artistas, começaram a pipocar matérias na mídia de que as instituições brasileiras que apoiam os pacientes de ELA ou que promovem pesquisas sobre a doença começaram a ganhar as suas respectivas doações, mesmo que seja em um valor muito mais baixo do que a campanha original.
Foto: Washington Post / Reprodução.

Se nos Estados Unidos a campanha arrecadou US$ 53,3 milhões, aqui no Brasil foram R$ 163 mil em apenas quatro dias, segundo reportagem do G1. O número é muito baixo, visto o número de famosos e internautas que aderiram a brincadeira do balde, poderia ter sido um fenômeno de doações se as celebridades e alguns internautas resolvessem abrir mais a carteira.

Mas, o que mais causa polêmica é o fato da brincadeira do balde de água gelada não levar em conta o contexto brasileiro de escassez dos reservatórios de água em muitas cidades brasileiras por conta do período de estiagem. Quem resolveu importar a brincadeira não levou em conta que, de forma subliminar, estava incentivando o desperdício de água em um momento muito crítico.

Sou a favor de doações para promover os grupos que apoiam pacientes e pesquisam doenças como o ELA e outras inúmeras doenças que, muitas vezes, são negligenciadas, mas existem. Isso é uma coisa. Outra é querer aparecer a qualquer custo.

Neste ponto, por incrível que pareça, Xuxa e Rafinha Bastos foram mais conscientes e decidiram participar das doações, e não do balde. Já Bruno Chateaubriand resolveu criar o Desafio da Estrela para ajudar arrecadar doações para o tratamento médico da ex-ginasta Laís Souza. São nessas pequenas ações que sabemos quem é quem “na fila do pão francês”.

Toda vez que estou diante de um meme viral como esse me questiono: será que temos que imitar tudo aquilo que está na moda? Acredito que não. Precisamos voltar a exercer o poder (e o direito) de usar o nosso filtro particular nas redes sociais. 

A quem interessa tal comportamento? Será que estou servindo a o quê ou a quem quando replico um meme? Não. Não somos todos macacos e nem temos que colocar uma girafa no nosso perfil. O meu pensamento é maior que 140 caracteres e não cabe em qualquer hashtag. Penso, logo existo. Reflito.




P.S.: Para quem se interessar em doar - independente se vai jogar o balde de água gelada na cabeça e postar nas redes sociais, basta fazer um depósito na conta da Associação Pró-Cura da ELA:
Banco Bradesco (237)Agência: 2962-9 / Conta corrente: 2988-2
Razão Social: Associação Pró-Cura da Esclerose Lateral Amiotrófica / CNPJ: 18.989.225/0001-88.







Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, curta a Fan Page no Facebook, circule o blog no Google Plusassine a newsletter e baixe o aplicativo do blog.









Wander Veroni
Jornalista



E-mail Newsletter

Cadastre seu e-mail e seja o primeiro a ficar sabendo o que rola no Café com Notícias

© 2007-2014 Café com Notícias .
Adaptado por Giselle Carvalho | Imagem Header Crédito Psyho .
back to top