27 de julho de 2015

TV Brasil exibe Ciclo de Cinema Iraniano no Horário Nobre

segunda-feira, julho 27, 2015 - Nenhum Comentário


Com uma seleção que reúne algumas das mais relevantes produções de grandes diretores do Oriente Médio, a TV Brasil apresenta o Ciclo de Cinema Iraniano a partir desta segunda-feira (27/07). Ao todo, a emissora vai exibir cinco filmes do país asiático, sempre às 23h, de segunda a sexta-feira, até 31 de julho. A sessão inclui dois longas do consagrado cineasta Mohsen Makhmalbaf.

No lançamento da nova faixa, o canal traz o comovente drama Tempo de Cavalos Bêbados, dirigido por Bahman Ghobadi. O cineasta ganhou a Câmera de Ouro no Festival de Cannes de 2000, prêmio concedido a diretores estreantes.

“É uma oportunidade raríssima, senão inédita na televisão brasileira, de podermos ver uma das cinematografias mais elogiadas do mundo. Todos os filmes têm qualidades para agradar não só o público cinéfilo, como aos espectadores de uma forma geral”, explica o gerente de Aquisições Internacionais da TV Brasil, José Zimmerman.
Cena do filme “Gabbeh”, do diretor Mohsen Makhmalbaf. Foto: Divulgação. 

Filha do diretor Mohsen Makhmalbaf, a cineasta Samira Makhmalbaf estreou nas telonas com o longa A Maçã, atração do ciclo nesta terça-feira (28), às 23h. “Ela é considerada pela equipe de críticos do jornal inglês 'The Guardian' uma das 40 melhores diretoras da atualidade”, comenta Zimmerman.

Já na quarta-feira (29/07), no mesmo horário, a emissora pública exibe o sensível e poético drama O Silêncio, dirigido pelo cineasta iraniano Mohsen Makhmalbaf, reconhecido com a Medalha de Ouro do Senado Italiano no Festival de Veneza.

O elogiado drama Gabbeh, também de Mohsen Makhmalbaf, é o destaque da sessão na quinta-feira (30/07), às 23h. Para encerrar o Ciclo de Cinema Iraniano, na sexta (31/07), no mesmo horário, a TV Brasil programou o filme Gosto de Cereja, considerado a obra prima da filmografia do diretor Abbas Kiarostami. O longa recebeu a Palma de Ouro no Festival da Cannes.





Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, curta a Fan Page no Facebook, siga a company page no LinkedIn, circule o blog no Google Plusassine a newsletter e baixe o aplicativo do blog.








  
Jornalista


26 de julho de 2015

"Bake Off Brasil" precisa provar que não é um "MasterCheff" de bolos

domingo, julho 26, 2015 - Nenhum Comentário


Encontrar o melhor e mais criativo confeiteiro amador do Brasil. Esta é a tarefa do reality show Bake Off Brasil, que estreou na noite deste último sábado (25/07), no SBT, às 21h30. Com formato criado pela BBC Worldwide, da Inglaterra, e reproduzido em mais de 20 de países sob o título de The Great Bake Off, o programa ainda precisa provar para o público brasileiro que não é um MasterCheff de bolos e doces.

Bem produzido, o Bake Off Brasil estreou com 7 pontos de audiência com pico de 9 e garantiu a vice-liderança para a emissora de Silvio Santos. Durante todo o tempo de exibição, ficou entre os assuntos mais comentados nas redes sociais. Com 12 participantes que adoram cozinhar doces de forma amadora, o reality show tem, inclusive, outro desafio: fazer com que os candidatos elevem o nível dos pratos apresentados, e isso não será uma tarefa fácil.

Apresentado por Ticiana Villas Boas – jornalista que deixou o Jornal da Band após a licença maternidade para migrar de vez para o entretenimento, assim como Fátima Bernardes e Ana Paula Padrão; o reality tem um cenário bucólico, como se fosse um chá da tarde na fazenda. Em uma tenda, os 12 participantes terão que preparar bolos e doces, sob análise crítica do empresário Fabrizio Fasano Jr. e da chef Carolina Fiorentino.

De acordo com as regras do reality, os participantes enfrentarão três tipos de desafio ao longo da competição: técnico (todos recebem a mesma receita e devem prepará-las), criativo (os participantes devem fazer receitas que sejam deliciosas e que também se destaquem pelo visual elaborado) e o marca registrada (cada um cria sua receita preferida a partir do tema do dia).

O programa terá um total de 13 episódios com cerca de uma hora de duração cada. A grande final do Bake Off Brasil terá os três melhores disputando o título de campeão da 1ª temporada. Ao final, um livro de culinária será publicado com as principais receitas do vencedor e do programa.

"O diferencial do nosso programa é que ele é muito bonito. Ele se passa em uma fazenda, com uma estética maravilhosa. Então mexe com uma coisa de ter externa e ao mesmo tempo de ser dentro de um estúdio. Os participantes são incríveis. Tem personagens que a gente vai se apaixonar de primeira. Estou me sentindo muito solta e à vontade nessa estreia no entretenimento. Está sendo mais fácil e mais gostoso do que imaginava", explicou Ticiana, durante a entrevista coletiva nos estúdios do SBT, em São Paulo.

Estreia

No episódio de estreia de Bake Off Brasil, o público ficou chocado com a falta de tato de muitos participantes. O nervosismo deles fez com que os jurados escolhessem o bolo menos pior, e não o bolo que se destacou pela apresentação, sabor ou criatividade do confeiteiro. E, assim como o MasterChef, o reality também elimina um participante que menos impressiona com sua obra, sempre com críticas felinas.

Foram pedidos para os candidatos reproduzissem, como primeira receita no reality show, o “bolo da sua vida”. Os jurados apresentaram para os participantes quais eram os bolos que significavam passagens marcantes da vida de cada um, pensando que eles escolheriam receitas com este mesmo objetivo. E, por incrível que pareça, teve participante que deixou o nervosismo tomar conta e não acertou a mão da massa, nem da apresentação do bolo.

Já na segunda tarefa, foi pedido para fazer um bolo invertido de maçã. E, mais uma vez, boa parte dos participantes não conseguiram fazer a receita, seja por desconhecer este tipo de bolo, seja pelo nervosismo. Ao que parece, a produção do Bake Off Brasil escolheu não os melhores participantes confeiteiros, mas os que renderiam divertidos momentos no vídeo pelo jeito expansivo e autêntico.

Pode parecer cruel, mas é possível perceber potencial de confeiteiro em apenas dois participantes: Marília e Ronaldo. Apesar de Ayrton ter vencido a segunda prova, visualmente os bolos dos outros dois participantes tiveram uma apresentação muito melhor e, sem dúvida, são candidatos que tem grandes chances de chegar a final do reality gastronômico. Espero que no decorrer dos episódios o nível dos participantes melhore um pouco mais.

Além disso, talvez pelo excesso de zelo – ou medo de que o programa não funcionasse, o SBT construiu o Bake Off Brasil de uma maneira extremamente parecida com o MasterCheff, da Band: seja pelos jurados ácidos com alto nível de sinceridade, seja pela excelente apresentação de Ticiana que mostrou desenvoltura e simpatia. Mesmo com tamanha semelhança, a atração é uma grata surpresa dentro desta nova moda televisa de investir em realitys culinários, principalmente no sábado à noite em que as opções de qualidade na TV aberta são tão escassas.




Fotos: SBT / Divulgação.






Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, curta a Fan Page no Facebook, siga a company page no LinkedIn, circule o blog no Google Plusassine a newsletter e baixe o aplicativo do blog.










Jornalista




#SaúdeNoInverno: Banhos quentes e demorados podem prejudicar a pele

domingo, julho 26, 2015 - Nenhum Comentário
Foto: Grohe / Reprodução. 


Na época mais fria do ano, nada melhor do que tomar um banho quentinho, não é mesmo? Mas saiba que esta ação pode ser prejudicial a pele no inverno. É que a água quente retira a oleosidade natural da pele a deixando ressecada e mais suscetível às reações alérgicas. A pele ressecada pode gerar coceira, machucados e pruridos que facilitam a contaminação por fungos e bactérias e podem ocasionar outras doenças.

“A orientação é para o banho morno, com pouco sabão e sem buchas para a proteção da pele nesta época do ano. Além da imediata hidratação cutânea, logo após o banho. Os lábios também costumam ressecar muito no inverno. É importante usar hidratantes labiais para evitar rachaduras. E não esquecer o uso diário do protetor solar também no inverno”, explica a referência técnica da coordenação de dermatologia sanitária da Secretaria de Estado de Saúde de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Maria Aparecida de Faria Grossi.

A água quente na lavagem dos cabelos também é prejudicial para o couro cabeludo. O excesso de calor estimula a produção de células sebáceas e pode resultar no aparecimento ou agravamento da caspa, que é uma inflamação no couro cabeludo que causa uma descamação da região. Nesse caso é bom também ficar atento ao calor do secador de cabelos. O ideal é manter a temperatura mínima ou usar o jato frio.

Sobre a frequência da lavagem dos cabelos nos dias frios, Maria Aparecida de Faria Grossi, orienta a ter atenção à oleosidade do couro cabeludo, mas ressalta que não há uma regra para a quantidade de lavagens. “A necessidade da lavagem dos cabelos varia de pessoa a pessoa e depende também da oleosidade da pele do couro cabeludo e do cabelo. A diminuição da frequência da lavagem dos cabelos pode aumentar a oleosidade do couro cabeludo e o aumento da escamação e da queda dos cabelos. O uso do secador durante o inverno é também um fator que pode facilitar a queda dos cabelos”, afirma.


______________________________________________
Por Jéssica Oliveira, jornalista da SES-MG.






Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, curta a Fan Page no Facebook, siga a company page no LinkedIn, circule o blog no Google Plusassine a newsletter e baixe o aplicativo do blog.





  




Jornalista


"Tradições de Minas" desvenda bastidores da produção de queijos

domingo, julho 26, 2015 - Nenhum Comentário


O projeto literário Tradição de Minas, criado pelo empreendedor cultural Leo Sousa, tem como missão explorar a cultura de Minas Gerais, construindo um rico panorama da identidade mineira. Um dos destaques da série é o livro Queijos de Minas, que documenta o processo de produção de queijos artesanais e a riqueza das relações familiares com essa tradição culinária.

Há dois anos, Leo Sousa viaja por todo o estado para explorar a diversidade da produção de queijo, em um percurso que já soma 17 mil quilômetros e encontrou produtores que mantém a mesma receita na família há mais de 300 anos. Seu interesse pelo tema começa com o avô, um dos primeiros produtores de queijo de São Roque de Minas, na região da Serra da Canastra.

“Eu me lembro de ser recebido na casa do meu avô com o pão sovado do dia e queijo derretido, uma tradição caseira dos mineiros. É dessa memória que vem a minha conexão pessoal e minha motivação para esse projeto cultural”, recorda.

A experiência de Leo mostrou a diversidade da produção dentro do estado. “Do norte ao sul de Minas, produz-se variedades de queijo minas, parmesão e muçarela, mas com características distintas. Há um conjunto de peculiaridades climáticas e ecossistemas que dão aos queijos personalidades diferentes”, explica.

Em seu percurso, Leo afirma ainda que focou no aspecto pessoal, buscando a relação cultural das pessoas com a produção de queijo. “Quis retratar a importância do queijo na tradição e no sustento dessas famílias”, conta. Leo enfatiza que a receptividade dos entrevistados fizeram justiça à tradicional hospitalidade mineira. “Durante essa documentação, pude construir grandes amizades com os produtores. Diante da abordagem com proximidade e respeito, eles rapidamente se abrem e compartilham sua sabedoria”, comenta.
O projeto literário "Tradição de Minas" mostra o processo de produção de queijos artesanais em Minas Gerais. 

Uma das personalidades de destaque no trajeto de Leo Sousa foi o produtor João Dutra, de Coronel Xavier Chaves. “É um grande personagem na tradição da produção de queijos, com muito conhecimento histórico e cultural. O queijo Catauá, produzido por ele, envolve e conquista no paladar”, revela.

Outro encontro marcante foi com o produtor Jesuel, do município de Itamonte, na região da Serra Negra. “Ele passa a semana produzindo os queijos e transporta na sexta e sábado para várias cidades do Rio de Janeiro, viajando em lombo de burro”, explica Leo. Outra história interessante é a do produtor João Melo que conseguiu reunir os produtores da região da Serra da Canastra e Serra do Sauípe em um trabalho conjunto de valorização da tradição dos queijos.

Segundo Leo, essas iniciativas são importantes para o reconhecimento do produto tanto no Brasil quanto internacionalmente. “Minas Gerais já é conhecida como uma região que produz queijos de alta qualidade. Cada vez mais tenho a certeza de que Minas pode se tornar uma referência mundial, assim como as regiões da Europa que dão nome a seus famosos queijos tradicionais”.

Cinema

Outro projeto cultural de Leo Sousa é a produção do filme O Lado de Cá das Montanhas, já aprovado pela Lei de Incentivo à Cultura. A proposta é retratar a riqueza da experiência documental, ressaltando a diversidade e a essência da mineiridade.

O filme passa pela gastronomia, trazendo também o artesanato e a religiosidade de Minas. “O objetivo é mostrar a importância da produção de queijo na vida familiar e nas características do povo mineiro, onde as montanhas, o clima e as mãos dos produtores trazem um diferencial na cultura”.



Fotos: Marcelo André / Reprodução.





Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, curta a Fan Page no Facebook, siga a company page no LinkedIn, circule o blog no Google Plusassine a newsletter e baixe o aplicativo do blog.





  



Jornalista



20 de julho de 2015

#Fire2015 destaca empreendedorismo e marketing digital em BH

segunda-feira, julho 20, 2015 - Nenhum Comentário


Destacar as principais tendências e avanços do marketing digital por meio do empreendedorismo. Esta é a proposta da primeira edição do #Fire2015, que acontece em Belo Horizonte, nos dias 15 e 16 de agosto, no Hotel Ouro Minas. O evento é organizado pela Hotmart e tem o valor de R$ 699 (2º lote, que pode ser dividido em até 12 vezes). Para fazer a sua inscrição, clique aqui.

Entre os destaques do #Fire2015 é a palestra Neil Patel, reconhecido como um dos dez melhores profissionais de marketing online do mundo. A programação ainda inclui palestras e debates com Juliano Prado, Co-fundador da Galinha Pintadinha; Carolina Baracat, Head of Consumer Marketing da Spotify; Paula Zierget, gerente de marketing da Visa, e Gui Telles, Gerente Geral do UBER São Paulo, entre muitos outros.

De acordo com os organizadores, o evento pretende capacitar cerca de mil pessoas em dois dias. Gabriel Temponi, gerente de Marketing do Hotmart, explica que o evento é diferente de tudo que já se viu até agora no mercado mineiro. “O #Fire2015 queima as ideias obsoletas e esquenta o mercado com conhecimento, inovação, impacto e negócios digitais”.

Temponi observa que os profissionais devem se manter atualizados e atentos às novidades e casos de sucesso. “Os participantes terão uma programação diferenciada e focada em grandes novidades e tendências. O evento tem caráter educativo e foco em conteúdo, cujas ideias serão compartilhadas entre startups, profissionais de marketing e o público em geral, se tornando uma ferramenta eficaz para quem busca novos conhecimentos”, avalia.

O gerente conta que o mercado digital é muito dinâmico, competitivo e os profissionais que querem se destacar devem se conscientizar sobre a importância dos eventos segmentados. “Paulatinamente, Belo Horizonte ganha espaço e atrai público de vários estados. Já é hora de os mineiros aproveitarem as oportunidades e garantirem mais conhecimento com participação em grandes eventos”, recomenda.






Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, curta a Fan Page no Facebook, siga a company page no LinkedIn, circule o blog no Google Plusassine a newsletter e baixe o aplicativo do blog.









Jornalista




E-mail Newsletter

Cadastre seu e-mail e seja o primeiro a ficar sabendo o que rola no Café com Notícias

Adaptado por Giselle Carvalho | Imagem Header Crédito Psyho .
back to top