Considerações sobre a Posse de Dilma e Anastasia

janeiro 02, 2011


Confira alguns destaques que marcaram a cerimônia de posse de Dilma e Anastásia, no dia primeiro de dezembro de 2011.

• Todas as emissoras fizeram a cobertura da posse da Dilma ao vivo, durante toda a tarde do dia primeiro de janeiro. Destaque para o jogo de cintura da jornalista Adriana Araújo, da Rede Record, e dos comentários analíticos e bem fundamentados de Alexandre Garcia, da TV Globo.

• Linda, loira e, até então, desconhecida do público. Ela é Marcela Temer, 27 anos, esposa do novo vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB). São 43 anos de diferença entre o casal que roubou a cena na posse de Dilma e levou Marcela ao Trendig Topics mundial do Twitter. Agora, a ex-miss Campinas e segundo lugar no concurso de Miss Estado de São Paulo, em 2002, colhe os louros da fama repentina, sem mesmo ter aberto a boca, durante a transmissão de posse da presidenta petista. Será que Marcela é a mais nova sub-celebridade de 2011?

• Parabéns especial à Rede Minas e a TV ALMG por serem as únicas emissoras de TV do Estado que fizeram a cobertura AO VIVO da posse do governador Anastásia. Por mais que a posse da Dilma tenha o fator histórico, faltou “visão jornalística” das emissoras locais que poderiam ter dedicado mais flashs ao evento político local – ou, até mesmo, transmitido as duas posses ao vivo.

• Durante boa parte da transmissão da Rede Minas, o âncora que transmitia a posse do governador mineiro se mostrou um tanto confuso. Chamava imagens que não iam ao ar e em vários momentos houve problemas no áudio. Televisão é equipe! E quem está com a cara no vídeo paga o pato pelo erro alheio.


Veja também:
O dia da posse – Dilma e Anastásia saem dos bastidores e ganham os holofotes



• Outra cobertura que merece elogio é a da equipe da Agência Minas na internet. Material jornalístico (e informativo) de qualidade disponível em texto, fotografia, áudio e vídeo, o que ajudou boa parte dos colegas jornalistas que não puderam cobrir todos os momentos da cerimônia mineirra. Também merecem apaluso as coberturas de O Tempo Online, Folha.Com, G1, Portal Uai e Portal R7.

• Em um momento em que boa parte da mídia paulista resolveu declarar oposição ao PT (e não ao governo, o que é uma pena), a Record tem estreitado mais os laços com o governo federal. Após conseguir a primeira entrevista da Dilma depois de eleita, a presidência da emissora foi em peso na posse dela em Brasília-DF. Fato que precisa ser visto com certo cuidado editorial.

• Do outro lado da onda, uma surpresa: a RedeTV! tem se destacado pela isenção da cobertura jornalística (e, principalmente, política), além da ótima análise do jornalista Kennedy Alercar. Na Band, apesar das boas reportagens, a transmissão soou morna, e não teve um diferencial característico das outras coberturas. Já o SBT Brasil, do SBT, apesar de ter bons profissionais, se perde pela edição ruim do material jornalístico captado. Precisa melhorar!

• O Jornal Nacional (JN), para variar, fez uma excelente cobertura da posse de Dilma, mostrando toda a logística e bastidores de uma cobertura atípica. No entanto, o telejornal sempre peca ao enfatizar mais São Paulo e Rio, e esquecerem do caráter nacional do noticiário. As semelhanças de Dilma e Anastásia poderiam ter rendido uma boa matéria de política para a Praça mineira. Mas nada foi feito. A posse do governador mineiro virou uma nota dentro da reportagem sobre a posse dos governadores brasileiros.



Fotos: Agência Minas \ Reuters.



Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, assine a newsletter e participe da página no Facebook e da comunidade no Orkut.






Wander Veroni
Jornalista

MAIS CAFÉ, POR FAVOR!

1 comentários

  1. gostei do que vi por aqui! Se puder visite o meu blog. Um abraço!
    http://pensamentosduneto.blogspot.com/

    ResponderExcluir