“A Fazenda7” termina no vermelho e com baixa repercussão entre o público

dezembro 04, 2014



Com uma média de 10 pontos de audiência, #AFazenda7 chega ao fim no dia 10 de dezembro no vermelho e com baixa repercussão entre o público. Apesar desta temporada ter sido uma das mais bem produzidas pela Record, o mercado publicitário não reagiu bem ao programa, muito menos o telespectador que ficou apático, sobretudo nas redes sociais.

Nos últimos três meses, a Record tentou vender as quatro cotas de patrocínio do programa (algo em torno de R$ 68 milhões), e não obteve êxito, mesmo com a proposta de descontos e a inserção em outros horários. Especula-se que a emissora da Barra Funda terminará o reality show com um prejuízo em torno de R$ 40 milhões.

Para tentar sanar o prejuízo das cotas de patrocínio, o comercial da Record investiu mais em ações de merchandising durante a #AFazenda7, principalmente nesta reta final. Em sete edições, foi a primeira vez que uma marca famosa de carro importado, de produtos alimentícios e uma cervejaria nacional não anunciaram na atração.

Uma fonte do mercado publicitário de São Paulo ouvida pelo Café com Notícias e que pediu para não se identificar, afirma que o fracasso comercial de #AFazenda7 se deve por três motivos:

1) O excesso de baixaria da edição anterior com cusparada, barracos homéricos e sexo explícito que deixou os anunciantes receosos de ligarem as suas marcas a este tipo de atração.

2)   O fato de 2014 ter todas as suas atenções voltadas para a Copa do Mundo e para as eleições presidenciais.

3)   O atual momento de audiência da Record: a emissora perdeu a vice-liderança para o SBT, tem como programa diário de maior audiência o Cidade Alerta – que fica horas sem entrar nenhum intervalo comercial. Segundo a fonte, falta à Record estabilizar melhor os seus breaks, além de ter programas que consigam trazer mais prestígio à emissora e menos sensacionalismo.

O Jogo

Para quem já acompanhou as edições anteriores de #AFazenda, notou que esta sétima edição foi muito mais bem produzida, principalmente no que se diz respeito a dinâmica do Jogo. A produção conseguiu sanar os erros e movimentou a disputa o tempo todo.
Fotos: Divulgação.

Mesmo com a escolha de alguns “famosos desconhecidos” do grande público, estes participantes não deixaram o programa esfriar em nenhum momento. Se no início o Grupo Ovelha ganhou a alcunha de vilões da temporada por querer ganhar tudo no grito e na força, a reta final tem sido marcada por uma total falta de harmonia entre os finalistas.

Praticamente, o Jogo se dividiu entre Helô e Babi contra DH, Pepê e Neném e Leo Rodriguês, que encabeçam o bonde do recalque. O tempo todo eles ficam atacando as duas por conta de um “racha na amizade”, desencadeado por uma tentativa de vitimização de Bruninha (cantora de funk desconhecida do grande público).

O blog Cartas Para Pi fez um resumo ótimo desta temporada, comparando-a com a edição do Big Brother Brasil 5 – o que mostra que nada na vida se cria, principalmente quando falamos de TV. Nesta reta final, tudo indica que Babi ou Heloísa ganhem o prêmio de R$ 2 milhões, na próxima quarta-feira (10/12). Agora, é esperar para ver!








Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, curta a Fan Page no Facebook, siga a company page no LinkedIn, circule o blog no Google Plusassine a newsletter e baixe o aplicativo do blog.











Jornalista



MAIS CAFÉ, POR FAVOR!

0 comentários