Show de Paul McCartney no Mineirão foi épico e inesquecível

maio 05, 2013

Show de Paul McCartney no Mineirão, em BH. Foto: Marcos Hermes / Divulgação.


Paul McCartney falou “uai” para mais de 53 mil pessoas na noite deste sábado (04/05), no Mineirão, em Belo Horizonte. Paul também falou “Oi Beagá! Boa noite, povo bão!” e levou todo mundo à loucura ensaiando outras expressões em português. Mas, mais do que isso: ele presenteou os fãs com um show épico e com uma energia no palco que dificilmente conseguimos colocar em palavras.

A convite dos organizadores, o blog @cafecnoticias recebeu uma credencial para cobrir o show. Desde já, agradeço os produtores pelo convite e profissionalismo que trataram não só a mim, mas a todos os colegas jornalistas e blogueiros. De tudo que já vive com o blog até hoje esse reconhecimento da produção internacional de convidar um blog local para fazer a cobertura do show foi algo surpreendente e mágico. Estou em estado de êxtase até agora! A emoção fala mais alto.

Assisti o show de Paul no gargarejo, na grade, a pouquíssimos metros do palco. Conheci muita gente bacana, revi amigos e colegas de profissão, mas o mais emocionante foi poder estar ao lado da amiga jornalista @FlavyaPereira que, assim como eu, foi credenciada pelo blog Beatles College. Acho super bacana isso da produção entender a importância da blogosfera e respeitá-la como mídia independente. Creio que isso pode ser um legado para as agências, empresas, instituições e produtores culturais de Belo Horizonte: acreditem mais na blogosfera!
Os jornalistas blogueiros Frank Martins, Flávya Pereira e Wander Veroni (eu).
Foto: Arquivo Pessoal.

Beatlemania

Belo Horizonte é a capital beatlemaníaca do Brasil. As pessoas sabem cantar as músicas. Tem história, pois cada canção marcou as suas vidas de alguma maneira. Em vários momentos, o Mineirão virou um grande karaokê e o coração de Macca não resistiu a tanto carinho, tanta entrega. O público também esteva na mesma sintonia. Cantava, dançava e conversava com o Paul como alguém próximo, como se ele fosse de casa. O envolvimento entre o público e o artista foi algo especial como nunca tinha visto antes: aliás, Paul deu um show de simpatia ao interagir com o público e não se furtar em agradecimentos. Na verdade, nós que agradecemos Paul. O Mineirão foi rebatizado à altura do Gigante da Pampulha.

“Tell me UAI, Paul” e “Thank You” eram os cartazes que mais se via entre o público. E, sem dúvida, isso emocionou o artista, que se viu colocado no alvo de uma campanha local para que ele incluísse Belo Horizonte na sua turnê. Paul não só entendeu o recado como escolheu a capital mineira para abrir a turnê Out There 2013. Já que nenhuma emissora de TV brasileira se interessou em transmitir ao vivo o show, bem que o espetáculo poderia virar um DVD. Dificilmente a gente vê este tipo de sintonia entre um artista gringo e o público. Certeza de que Paul foi coroado pelo público como cidadão mineiro. O carinho entre ambas as partes foi grande, algo inexplicável!
Fotos: Flávya Pereira / Arquivo Pessoal.

O “uai” – uma das expressões mineiras mais conhecidas, tem uma forte ligação inglesa, na época que os imigrantes da Terra da Rainha vieram instalar a malha ferroviária em Minas Gerais, seja para escoar até o litoral minério, seja para o transporte de café. Além disso, os Beatles influenciaram uma série de músicos mineiros aqui em BH e o mais latente deles é o Clube da Esquina, capitaneado por vários músicos de talento sem igual, como Milton Nascimento. Ou seja, o nosso “diga uai” ao Paul McCartney tem contexto.

Na única entrevista que Paul McCartney concedeu à imprensa local, ele falou sobre o carinho dos fãs e revelou, na altura do campeonato, ainda não conhecer Milton Nascimento, nem o Clube da Esquina. "Não, nunca ouvi. Talvez se você me mandar o CD", respondeu Paul. Faltou sensibilidade dos produtores do show em não revelar ao artista o quanto ele influenciou a música mineira e, principalmente, como lembrou a amiga jornalista @FlavyaPereira, de não ter dado a ele uma bandeira mineira nos momentos finais do show, onde ele sempre homenageia a localidade do show. Outro deslize foi o som que ficou mudo em uma das músicas, do nada. Mas nada que tirasse do brilho do espetáculo.

O show

Paul McCartney ama o que faz. E não é a toa que o ex-Beatle está em atividade até hoje, aos 70 anos. No palco, Paul tem carisma. Ele interage com os fãs, agradece o carinho, dança e se emociona. Quem foi ao Mineirão viveu um momento histórico, sem dúvida. A emoção estava no ar o tempo inteiro. Teve músicas que Paul cantou pela primeira vez ao vivo, desde que começou a turnê solo. Outras, ele cantou porque fazem parte daquilo que os fãs esperam que ele toque por ser um dos grandes sucessos.
No gargarejo, assistindo o show de Paul McCartney, no Mineirão. Foto: Arquivo Pessoal.

Foi emocionante ver o Mineirão estrelado nos momentos de músicas mais intimistas como "Blackbird", “Yesterday” e "Hey Jude". Público de todas as idades, de várias épocas se emocionaram com a entrega de Paul em cada música, em cada nota. Paul dedicou uma música para cada colega dele dos Beatles e para ex e a atual esposa. Um elevador suspenso no palco e os momentos de pirotecnia com fogos de artifício e labaredas de fogo deixaram o público em êxtase, no mais legítimo rock and roll londrino. Abaixo, confira o registro em vídeo da jornalista Flávya Pereira do momento em que o Mineirão ficou estrelado com “Yesterday”:


Mas, o momento mais especial do show foi quando Paul McCartney recebeu no palco as meninas que começaram com o movimento nas redes sociais #PaulVemFalarUai. Elas foram homenageadas pelo cantor com direito a subir no palco e ganhar um autógrafo. No final do show consegui tirar uma foto com o grupo e perguntei a emoção de ver Paul tão de pertinho. “Estou tremendo até agora. Não consigo acreditar e algo inexplicável”, disse uma delas. Para nós também. Paul é único. E o Mineirão jamais será o mesmo depois da visita dele. #VoltaPaul
Eu ao lado das criadoras da campanha #PaulVemFalarUai. Foto: Arquivo Pessoal.

Mobilidade

Ainda não tinha ido ao Mineirão, desde que o estádio foi reinaugurado. No show, pude ver que os mineiros ganharam um estádio lindo com um padrão internacional que impressiona. Na questão de segurança, a organização está de parabéns. Cheguei ao estádio por volta das 18h e vi um policiamento extensivo em todo em torno do Mineirão. Além disso, os policiais estavam simpáticos com as pessoas que pediam informações e que tinham dificuldade de encontrar as portarias do estádio.

No entanto, nas questões estruturais do Mineirão, há ainda muitas falhas que podem ser resolvidas, desde que haja interesse para tal. Difícil compreender o porque do sinal de 3G no estádio não funcionar, fora o sinal dos celulares que ficam completamente mudos. Pelo que observei, apenas clientes da VIVO conseguiram acessar internet e telefonar sem problemas. Os clientes das outras operadoras, ora conseguiram, ora não.

Sou cliente da OI e meu celular ficou completamente sem sinal. Ainda há vários pontos cegos de sinal e de conexão no estádio. A produção do show fez o possível para que o sinal voltasse e que pelo menos na sala de imprensa a internet 3G funcionasse. Mas, pelo que pude perceber, o problema vai além disso.
Fotos: Arquivo Pessoal.

Outra coisa que me incomodou foi a falta de planejamento do transporte público, principalmente na saída do estádio no final do show. Engarrafamento, falta de táxi, excesso de vãs privadas e ausência de ônibus depois da uma da madrugada, uma vez que o show terminou à meia-noite. Duas das principais cooperativas de táxi da cidade demoraram mais de meia hora para atender os clientes que pediam um táxi e quando atendiam informavam, com toda sinceridade, que não tinham táxi disponível. Ainda, muitos taxistas escolhiam a dedo os passageiros, numa espécie de leilão.

Sem metrô ou uma linha circular de ônibus contínuo que poderia levar as pessoas até a avenida Antônio Carlos ou à avenida Carlos Luz para facilitar o escoamento, muito menos uma rua que se fixasse como ponto principal de táxi em dia de grandes eventos, o Mineirão vai continuar vivendo no caos e vai se deixar levar, nos pequenos detalhes, como um local cada vez mais elitizado e que não conversa com a população que usa transporte público. Para se ter uma ideia, só consegui um táxi disponível próximo à Escola de Veterinária da UFMG, por volta de três horas da madrugada, sendo que a saída da imprensa foi na avenida Abraão Caram. Tive que dar uma volta no estádio. Faltou planejamento da BHTrans, para variar.

Abaixo, confira o set list do show de Paul McCartney no Mineirão:
- Eight days a week
- Junior Farm
- All my loving
- Listen to what the man said
- Let me roll it
- Paperback writer
- My valentine
- 1985
- Long and winding road
- Maybe I´m amazed
- Hope of deliverance
- We can work it out
- Another day
- And I love her
- Blackbird
- Here today
- Mother should know
- Lady Madonna
- All together now
- Mrs Vanderbilt
- Eleanor Rigby
- Mr. Kite
- Something
- Obla di obla da
- Band on the run
- Hi hi hi
- Back in the USSR
- Let it be
- Live and let die
- Hey Jude
- Day tripper
- Lovely Rita
- Get back
- Yesterday
- Helter Skelter
- Golden Slumbers
                          



Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, curta a Fan Page no Facebook, circule o blog no Google Plusassine a newsletter e participe da comunidade no Orkut.





Jornalista

MAIS CAFÉ, POR FAVOR!

3 comentários

  1. Francisco Bertoletta5 de mai de 2013 21:51:00

    Puxa vida, Wander. Que cobertura incrível do show. Infelizmente não pude ir, mas estou muito feliz de ver esse reconhecimento do blog. Parabéns pelo relato e pelo excelente trabalho que realiza neste espaço.

    ResponderExcluir
  2. Kristeen Brownsword5 de mai de 2013 23:06:00

    I want to to thank you for this wonderful read!! I certainly loved every little bit of it. I have you book marked to check out new stuff you post…

    ResponderExcluir