#SalveaRedeMinas – Campanha quer garantir mais transparência no concurso público

julho 28, 2013


Desde que o esperado concurso público da Rede Minas de Televisão foi anunciado, cerca de 300 funcionários da emissora estão receosos. É que a qualquer momento, pode haver demissões em massa e extinção de programas.

Mas, o que era para ser algo a ser usado para melhorar a gestão, está se tornando uma espécie de terrorismo. O medo é que a programação atual seja descontinuada. Em protesto, na última segunda-feira (22/07), telespectadores e funcionários deram um abraço simbólico no prédio da Rede Minas.

Tudo começou quando a emissora pública teve que se adequar às normas do Ministério Público. Com isso, a Associação de Desenvolvimento da Radiodifusão de Minas Gerais (ADTV) – que faz a gestão da Rede Minas, foi obrigada a acabar com o modelo de terceirização na contratação.

Para lutar por uma TV Pública transparente e por um período de transição que respeite todo o acervo de conteúdo audiovisual da emissora e continue oferecendo uma programação de qualidade, funcionários e telespectadores criaram a campanha #salvearedeminas.

Para participar, basta curti a Fan Page no Facebook e enviar uma foto segurando uma placa ou cartaz com a #hashtag já citada. A ideia é mobilizar a sociedade nas redes sociais sobre a importância de garantir que o processo de transição não interfira na qualidade programação da emissora e que possa oferecer qualificação profissional aos concursados. Assista o vídeo:



Em breve, pessoas ligadas à campanha #salvearedeminas vão produzir um debate para esclarecer os motivos da mobilização e também irão discutir questões ligadas à manutenção das emissoras públicas/educativas no Brasil e em Minas Gerais. 

O debate será transmitido ao vivo pela equipe do Mídia NINJA e da @pos_TV por meio da internet para que todos possam acompanhar esse período crítico de mudança da terceira maior emissora pública do Brasil. Desde já, o blog Café com Notícias se solidariza com a causa e apoia o movimento.

Para entender melhor o que está acontecendo com a Rede Minas, leia abaixo a reprodução da Carta Aberta criada pela equipe que administra a fan page do #salvearedeminas e que tem sido muito repercutida nas redes sociais. Confira:

Carta aberta à sociedade

A Rede Minas de Televisão passa por um momento delicado em sua história. Já são trinta anos dedicados à divulgação e à valorização da cultura mineira. Trinta anos de um diálogo estreito e amigável com todos os que quiseram trazer arte, cultura, conhecimento e diversão para as nossas telas.

Então, #salvearedeminas. Você é Rede Minas, somos todos Rede Minas. Juntos fizemos dessa TV a nossa voz e o nosso olhar. Hoje pedimos socorro, pedimos ajuda. Somente com a união de todos podemos fazer frente a uma sombria realidade que se aproxima. A programação da emissora pode passar por uma drástica redução.

Os atuais 25 programas da grade da TV podem ser, de uma hora para outra, reduzidos a apenas 5. Isso se houver demissão em massa como se anuncia. Pergunta-se: como fica a tela de Minas Gerais sem entretenimento, cultura e informação?

Nós, mineiros, já estamos acostumados com um conteúdo de qualidade, respeito ao telespectador, com uma televisão que fez um caminho alternativo e de contraponto a uma programação meramente comercial.

Concurso público sim, mas com respeito! Queremos continuar sendo vistos e ouvidos. E desejamos transparência neste processo de transição.

ENTENDA O CASO

Em julho de 2004, a Fundação TV Minas assinou - com o Ministério Público do Trabalho e com o Ministério Público Estadual – o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), comprometendo-se a realizar concurso, porém, este processo não ocorreu e a emissora foi punida pela Justiça, sendo condenada a pagar multa de R$ 3,8 milhões.

Como parte do processo, em 2005, a Associação de Desenvolvimento da Radiodifusão de Minas Gerais (ADTV) foi fundada e qualificada como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) pelo fato de funcionar como uma empresa privada que administra verba pública.

A entidade foi elevada à categoria de “interesse público” pelo Ministério da Justiça. A ADTV assumiu atividades que eram exercidas anteriormente pela Fundação TV Minas como, por exemplo, a tarefa de executar e promover ações culturais e educativas relacionadas à produção e veiculação de radiodifusão, sons e imagens; e atividades relacionadas à telecomunicação e transmissão.

Em maio de 2013, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) votou e aprovou o Projeto de Lei 3.252/2012, de autoria do Governador Antônio Anastasia, que propõe uma nova estrutura de cargos e funções da Fundação TV Minas (plano de cargos e salários).

De acordo com as informações de que os funcionários dispõem neste momento, a realização do concurso não garante a permanência da grade atual e não prevê o registro de qualificação profissional dos funcionários concursados. O edital está previsto para agosto de 2013.

Este período de transição acarretará a demissão de mais de 300 funcionários da Rede Minas. Não somos contra a realização do concurso! O que queremos é a manutenção da qualidade da programação desta emissora educativa e cultural, que só será mantida com condições justas de trabalho. Neste sentindo, clamamos por transparência neste processo de mudanças.

Devido a todas essas questões somadas a problemas orçamentários, cinco programas foram extintos [Curta, Emprego e Renda, Jornal Visual, Rede Mídia e Trilhas do Sabor] em 2013 e 50 funcionários foram demitidos.

Veja a lista dos outros programas que estão correndo risco de sair do ar:

Agenda
Alto-Falante
Brasil das Gerais
Breve História
Clube do Esporte
Coletânea
Curta
Dango Balango
Diverso
Feira Moderna
Harmonia
Imagem da Palavra
Jornal Minas
Mais ação
Meio de Campo
Missa Dominical
Noturno
Opinião Minas
Palavra Cruzada
Planeta






Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, curta a Fan Page no Facebook, circule o blog no Google Plusassine a newsletter e participe da comunidade no Orkut.







Jornalista

MAIS CAFÉ, POR FAVOR!

12 comentários

  1. Francisco Bertoletta28 de jul de 2013 11:08:00

    Wander, não sabia que estava acontecendo isso com a Rede Minas. É triste ver que é imposto um concurso público sem levar em conta que a TV não pode parar do nada e que os concursados não podem chegar no escuro para tocar a emissora. Lamentável!

    ResponderExcluir
  2. Ei querido. Que absurdo o que estão fazendo com a Rede Minas só por causa de um concurso. Se a TV Pública a população tinha que ser convocada para participar das decisões também. Já tô dentro da campanha: #salvearedeminas.

    ResponderExcluir
  3. Quando acabei de ler o seu post fiquei pensando nos funcionários que estão lá há anos. Por ser uma Ocip acho que tem que ter concurso sim, mas tinha que manter alguns funcionários contratados porque a TV precisa funcionar depois do concurso. Do jeito que tudo está sendo feito é muita sacanagem, principalmente com o telespectador.

    ResponderExcluir
  4. Não sou contra o concurso, mas acho que do jeito que ele está sendo imposto é ruim. Falta transparência e um maior diálogo com a população, afinal a TV é pública.

    ResponderExcluir
  5. Como jornalista, acho que o jeito que o concurso foi feito não respeita a nossa categoria. Nada contra o concurso. A grande questão é que não foi pensado o processo de transição. Bom ano que vem tem eleições....quem sabe o povo não acorda e vota direito.

    ResponderExcluir
  6. Maria de Fátima da Silva Pimenta28 de jul de 2013 11:27:00

    Nossa Senhora! Eu amo assistir o Brasil das Gerais e o Agenda. Não sabia que estava acontecendo isso na Rede Minas. Ainda bem que existe o seu blog para falar o que acontece em Belo Horizonte e em Minas. Claro, estou dentro da campanha também. Vou falar com todo mundo da minha família para aderir.

    ResponderExcluir
  7. Já passou da hora do Brasil adotar o modelo de TV Pública de outros países como na Inglaterra, por exemplo. Onde o povo tem o controle da emissora e não governo. O que está acontecendo com a Rede Minas só reforça esta minha tese. Claro que tem que ter concurso público, mas não desse jeito desrespeitando os profissionais que estão trabalhando e o telespectador que corre o risco de deixar de ver vários programas.

    ResponderExcluir
  8. Às vezes tenho a impressão que as coisas de Minas não são noticiadas da maneira. Ainda bem que existem blogs como o seu que nos informam com transparência e sem rodeios.

    ResponderExcluir
  9. Vou espalhar essa notícia para todo mundo que conheço! #salvearedeminas

    ResponderExcluir
  10. Não é curioso quererem acabar com a Rede Minas há um ano do período eleitoral, praticamente? É por isso que anulo meu voto. Tô dentro da campanha! #salvearedeminas

    ResponderExcluir
  11. A Rede Minas merece respeito.O concurso deve ser realizado, mas não da forma como vem sendo programado. A transição tem que ser bem pensada, senão tudo o que foi feito até hoje irá por água abaixo. Quem conhece a história da Rádio Inconfidência sabe do que estou falando.Como funcionária da empresa, só peço RESPEITO!

    ResponderExcluir
  12. Nada me tira da cabeça que esse concurso foi feito nas coxas de propósito, só para esvaziar a Rede Minas no período eleitoral. O povo tem que aderir mesmo ao movimento pq senão a Rede Minas corre o risco de ter que começar do zero.

    ResponderExcluir