#Crônica: Na hora do almoço, perdoar realmente é preciso?

dezembro 14, 2012



O ato de pedir perdão e perdoar é uma atitude nobre. Tanto para quem pede, quanto para quem aceita. Não basta só pedir. É importante ser sincero. Existe perdão das mais variadas formas e dos mais variados jeitos. 

E quando algo acontece no âmbito comercial, na prestação de serviços? É possível perdoar? Outro dia, na hora de almoço, liguei para o restaurante que sempre peço comida por telefone para fazer um pedido e fui extremamente mal atendido.

Na empresa em que trabalho muitas pessoas pedem refeição neste restaurante também. Até então, imaginava que, por ser algo constante, que os funcionários do estabelecimento estavam acostumados com os nossos pedidos. Mas, um funcionário mal educado resolveu descontar as suas frustrações em mim e me tratou super mal no telefone. Foi surreal!

De forma grosseira, ele não quis acreditar no endereço que eu havia falado para o envio da entrega, muito menos o telefone da empresa que dei no pedido. 

De uma hora para outra ele começou a discutir comigo por telefone, falando que o endereço que eu havia falado não correspondia com o que aparecia na bina. Me chamou de mentiroso nas entrelinhas e ainda desligou o telefone na minha cara. Não acreditei na tamanha falta de educação.


Meus colegas de trabalho ficaram passados com a grosseria. Uma colega resolveu ligar para lá e chamar a atenção dele, uma vez que boa parte da equipe faz pedidos com freqüência no restaurante. 

No telefone, ele pediu para que a minha colega me repassasse o pedido de desculpas. Não aceitei e não quis fazer o meu pedido. Fiz encomenda no restaurante concorrente. O estabelecimento em questão perdeu o cliente e, de minha parte, vou fazer propaganda boca-boca negativa: sentenciei.

Não se trata de ser vingativo. Mas uma empresa que trabalha com atendimento ao público tem que zelar para que os seus funcionários tenham inteligência emocional para lidar com as pessoas. 

Tratar bem, ser educado e fidelizar um cliente por meio do bom atendimento deveria ser a premissa de qualquer restaurante. Mas este em questão não se deu conta do perigo que está correndo ao escalar tal funcionário abusado para atender o público por telefone. Tenho certeza que não fui o último, nem o primeiro a ser mal atendido por ele via telefone.


Minutos depois o funcionário mal educado me ligou pedindo desculpas. Disse que isso tudo não passava de um mal entendido, que eles estava atendendo dois telefones ao mesmo tempo. 

Apesar de ter ouvido ele e acreditar que o perdão é uma atitude nobre, não perdoei porque não senti verdade na fala dele. Parecia que ele estava mais preocupado em não perder a venda do dia do que tratar o cliente de uma forma educada. 

Se ele tivesse assumido a grosseria e pedisse perdão por isso, sei lá...acho que entenderia. Do jeito que foi não gostei. O restaurante me perdeu como cliente.

O resultado final é que o outro restaurante concorrente que pedi comida me atendeu super bem e estranhou o porque parei de fazer o meu pedido com frequência. 

Me deram desconto por eu ser cliente regular e ainda me apresentou outros pratos do cardápio, sem ao menos saber desta história. O mercado seleciona, já diria a sabedoria popular. Nas relações comerciais, nem tudo deve ser perdoado. O cliente merece ser respeitado, sim. Em tempos de internet e redes sociais, a propaganda boca a boca é o que há.






P.S.: Em respeito ao Restaurante e aos funcionários que lá trabalham e se preocupam em atender bem os clientes, achei melhor não expor o nome do estabelecimento. Mas fica a dica: valorize o seu poder de escolha e não aceite qualquer coisa.








Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, curta a Fan Page no Facebook, circule o blog no Google Plusassine a newsletter e participe da comunidade no Orkut.




Jornalista

MAIS CAFÉ, POR FAVOR!

7 comentários

  1. Wander, que coisa mais horrorosa desse restaurante....tô chocada como o povo não sabe trabalhar. Tem gente que acha que está fazendo um favor, quando na verdade o trabalho é atender bem os clientes e fidelizá-los. Você ainda foi educado em não revelar o nome....não sei se faria o mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Francisco Bertoletta14 de dez de 2012 21:59:00

    Wander, alguns funcionários do comércio, restaurante, lanchonete, enfim, não estão preparados psicologicamente para lhe dar com o público...essa que é a verdade. O seu post vale como alerta.

    ResponderExcluir
  3. Querido, depois você me passa o nome desse restaurante em privado. Vou fazer coro na propaganda negativa entre as pessoas que conheço.Tomara que esse funcionário for demitido para aprender tratar as pessoas com educação.

    ResponderExcluir
  4. Acredito que perdoar tem que ser algo sincero das duas partes. Ninguém é obrigado a perdoar ninguém. Você fez o que o seu coração mandou e isso é o mais importante.

    ResponderExcluir
  5. Se fosse comigo, nem me dava ao trabalho de ouvir esse fulano querendo pedir desculpa. E olha que foi por telefone, imagina se fosse pessoalmente?

    ResponderExcluir
  6. Ainda bem que você fez o seu pedido em outro lugar. Duvido nada que esse cara teria cuspido na sua comida....ele deve ter levado um pito do chefe dele para ter te ligado. Você fez bem...deixa eles perderem o cliente...e agora não vão perder só você, vão perder um monte.

    ResponderExcluir
  7. É incrível como as pessoas tratam as outras, falta de respeito!!!
    Douglas
    http://www.plasticaesteticaecia.com.br

    ResponderExcluir