TEDxBH – Evento mostra que ideias simples podem mudar o mundo

maio 13, 2012



Expandir horizontes criativos em prol do coletivo. Esta foi a proposta da primeira edição do TEDxBH, que aconteceu neste sábado (12/05), em Belo Horizonte, no Espaço 104, na área central da cidade. A proposta do evento foi promover o encontro de ideias com pessoas de áreas de conhecimento diferentes com o intuito de propor ações que possam mudar o mundo.

Na programação, experiências e ideias que possibilitou todos os presentes a conferirem novas formas de interações sociais, culturais, ambientais e econômicas. Realizado em várias cidades do planeta, como Long Beach e Palm Springs, nos Estados Unidos; Endimburgo, na Escócia; Madri, na Espanha; Toronto, no Candá; entre outros, o TED chega a capital mineira reunindo pensadores e realizadores nacionais e internacionais de áreas distintas de conhecimento, como arte, tecnologia, biologia, negócios, etc.
Com a amiga jornalista Cíntia Neves no TEDxBH. Foto: Arquivo Pessoal.

Com o tema o tema “Expandindo Horizontes”, o @TEDxBH trouxe palestrantes das mais diversas áreas, tais como as senhoras do grupo Meninas de Sinhá; Chefe Almir Suruí e Rebecca Moore; a cantora canadense e ativista social Sarah Harmer; o psicológo Fernando Braga da Costa, autor do livro "Homens Invisíveis – Relatos de uma Humilhação Social"; o professor e historiador Christopher Howe que caminhou a pé de Los Angeles ao interior da Amazona no Brasil; a ex-diretora executiva da Manguinhos Instituto de Tecnologia Farmacêutica, Eloan Pinheiro dos Santos; o arquiteto belo-horizontino e intervencionista cultural Roberto Andrés, entre outros.

Criado a partir de um acrônimo para Technology, Entertainment, Design, o TED é uma fundação privada sem fins lucrativos nos Estados Unidos que ficou conhecida internacionalmente por conta das suas conferências em diversos lugares do mundo destinadas à disseminação de ideias. No espírito das ideias que merecem ser compartilhadas, o TED criou, em 2009, o programa chamado TEDx que organiza de forma independente eventos locais para pessoas de áreas diferentes poderem compartilhar ideias e debates. O mais bacana do TEDx é que as apresentações duram 18 minutos e os vídeos são amplamente divulgados na internet.

Acompanhe abaixo algumas impressões sobre o TEDxBH:

# Gostei da escolha do local onde aconteceu o TEDxBH. O Espaço 104, na Praça Rui Barbosa, bem no centro de BH, precisa ser mais explorado para outros tipos de evento deste mesmo porte. É um espaço excelente, porém ainda é preciso investir em exaustores e ventiladores para deixar a temperatura um pouco mais agradável.

# Também me chamou a atenção a organização do evento que trabalhou de forma segura e bastante competente, principalmente na hora de começar as palestras e servir as refeições. Outro ponto positivo foi a construção do lounge e dos espaços de convivência que permitiram os participantes se conhecerem e aumentar o seu network e círculos de amizades.

# O evento começou com uma apresentação do grupo Meninas de Sinhá formado por mulheres entre 50 e 92 anos de idade, moradoras dos bairros Alto Vera Cruz, Taquaril e Granja de Freitas, em Belo Horizonte. Foi lindo ver como um grupo de mulheres unidas podem juntas descobrirem a alegria de viver por meio do canto e da dança. A amizade faz bem para a saúde!

# Em seguida, houve a palestra da diretora do Google Earth Solidário Rebecca Moore e do Chefe Índigena da tribo Suruí, Almir Narayamoga Suruí. O Chefe Almir cansado de ver o seu povo sendo dizimado e as florestas sendo devastadas procurou o Google para uma parceria tecnológica onde foi possível os membros da tribo fiscalizarem as áreas desmatadas, além de promover a cultura indígena na internet.
Eu e o Chefe Almir Suruí no TEDxBH. Foto: Arquivo Pessoal.

# Conheci a história do Chefe Almir na exibição do programa piloto de entrevistas de Roberto Justus, na Rede Record. E, desde então, me tornei fã do empreendedorismo do líder da tribo Suruí que está planejando a manutenção sociocultural do seu povo com a ajuda da internet e outros parceiros para os próximos 50 anos. Muito legal!

# “Muita gente não conhece a história das florestas e não sabe o valor que ela tem. (...) Resolvemos trazer a nossa contribuição para uma política mais sustentável. Temos que planejar o uso das florestas. Os povos da Amazônia querem viver com a floresta em pé para não ter que viver nas cidades”, disse Chefe Almir.
Novos amigos empreendedores feito no TEDxBH. Foto: Arquivo Pessoal.

# Me emocionei com a palestra do fotógrafo Jorge Quintão que coordena o projeto Imaginário Coletivo – que nasceu a partir de outro projeto, o Olhar Coletivo, ensinando jovens carentes a serem fotógrafos profissionais, além de despertarem consciência artística e a autoestima do lugar em que vivem. Atualmente, Jorge está pedindo doações para poder comprar máquinas fotográficas para as crianças que participam do programa. Para conferir a história do projeto, clique aqui.

# Entre as palestras presenciais havia a inserção de palestras em vídeos realizadas em outros países. Duas delas me chamou a atenção: uma era sobre um rapaz com PhD em engenharia mecânica que percebeu que todo o conhecimento acadêmico que ele tinha não valeria de nada se ele não usasse aquilo de forma técnica. Foi aí que ele teve um insight, se mudou para uma fazenda e compartilhou, por meio da internet, formas de se confeccionar ferramentas e equipamentos à baixo custo.
Lounge do TEDxBH para os participantes interagirem
durante o intervalo. Foto: Wander Veroni.

# Outra palestra em vídeo que achei super bacana foi de um profissional de internet que, após pesquisas e observações pessoais, chegou a conclusão que o Google, Facebook e os demais sites de buscas estão personalizando cada vez mais o gosto do usuário, mostrando apenas aquilo que ele quer ver ou sempre clica – o que nem sempre pode significar que a pesquisa possa se tornar relevante. Ele faz um apelo para os empresários da internet voltarem a formar redes socializadas na internet ao invés de promover redes únicas e cada vez mais especificas. De acordo com ele, esse foco na individualização pode tornar a internet menos plural e imbecil.

# Para finalizar, uma das palestras que mais gostei foi a do arquiteto, mestre em arquitetura e professor da UFMG, Roberto Andrés. Ele fez uma crítica de forma criativa sobre a urbanização irresponsável por que passam várias cidades ao redor do mundo, partindo do exemplo de Belo Horizonte que cobriu o ribeirão Arrudas para fazer uma grande avenida central. Outra crítica de Andrés é o modo como as cidades pensam a melhoria viária, não investindo em transporte público de qualidade, nem em metrô, nem em ciclovia, mas alargando ruas e avenidas, diminuindo cada vez mais o espaço do pedestre.
No varal de sonhos do TEDxBH, escrevi o meu. Foto: Wander Veroni.

# O TEDxBH teve muitas outras palestras que, em breve, deverão ser disponibilizadas em vídeo pelo YouTube – uma vez que elas foram transmitidas ao vivo pela internet. Vale a pena conferir!



Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, curta a Fan Page no Facebook, circule o blog no Google Plusassine a newsletter e participe da comunidade no Orkut.




Jornalista

MAIS CAFÉ, POR FAVOR!

5 comentários

  1. Francisco Bertoletta13 de mai de 2012 16:57:00

    Louvável esse tipo de iniciativa que forma pessoas mais cidadãs e que compreende que o mundo tem que ser pensado do local para o global. Boa reportagem, Wander!

    ResponderExcluir
  2. Estava pesquisando no Twitter sobre TEDxBH e encontrei o seu blog. Estou feliz por ver um blog de BH tão bacana e profissional. Participei do evento só na parte da tarde, mas adorei tudo o que pode ver. As fotos ficaram ótimas!

    ResponderExcluir
  3. Já participei do TEDx em São Paulo e foi uma das melhores experiências da minha vida. É o tipo de evento que nos faz pessoas melhores e mais criativas. Recomendo para todo mundo!

    ResponderExcluir
  4. Lembro do Chefe Almir no programa do Justus. Nossa, que bacana poder conhece-lo. Não sabia que existia esse evento....da próxima vez quero ir!

    ResponderExcluir
  5. Fui no TEDxBH e adorei o evento, a organização, os palestrantes, tudo. Não conhecia o Espaço 104 e achei que foi uma ótima sacada ter colocado num lugar mias centra. Parabéns pela matéria. Bjs

    ResponderExcluir