18 de junho de 2009

STF cancela a exigência do diploma para Jornalistas

quinta-feira, junho 18, 2009 - 40 Comentários


Sou uma pessoa de fé, que prima pela qualidade e profissionalismo. Apesar das notícias nem sempre serem muito positivas, ainda não perdi a minha esperança por dias melhores. Confesso que estou revoltado, mas sei que a luta está apenas começando. Nesta última quarta-feira (18/06), o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu a extinção da obrigatoriedade do diploma para o exercício da profissão de Jornalista. O que me deixa triste - por um lado, ao ver que essa decisão não coube a sociedade, e muitos menos aos jornalistas - parte mais interessada. Acredito que essa decisão vem de encontro ao interesse de grandes empresas de comunicação que defendem a entrada de celebridades ou apadrinhados no exercício da atividade de Jornalismo. Será que é tão difícil estudar e obter um diploma?

O jornalismo não é só técnica e difusão de informação. É uma atividade muito mais ampla e que exige qualificação profissional e conhecimento científico, principlmente no campo da Ciência da Comunicação. O que me deixa mais preocupado é que essa decisão do STF prejudica mais ainda o nível de jornalismo feito nas cidades do interior, onde normalmente políticos ou empresários são donos de jornais impressos, rádios e TVs locais. Com a falta de exigência de um diploma a população fica refém da baixa qualidade, pois qualquer um poderá legalmente produzir conteúdo se auto intitulando Jornalista. Virou um samba-do-crioulo-doido...rs! Depois, a própria sociedade culpa a imprensa de ser sensacionalista ou coisa pior. Precisamos sair da zona de acomodação e exigir respeito, pois o público merece o melhor! Não há como produzir uma mídia de qualidade sem ter qualificação.


Que me desculpem os Jornalistas que não tem diploma - principalmente os profissionais de outra época, da qual tenho profundo respeito e admiração. O mundo mudou! Graças a Deus, pois com a profissionalização temos como buscar excelência na atividade. Aos jornalistas que estão na faculdade ou que exercem a profissão sem ter o diploma, peço que estudem e não abandonem o curso, pois estudamos para obter qualificação e ter um diferencial no mercado de trabalho. 

Lembrem-se: quem faz a sua carreira é você, e não a empresa que você trabalha ou o STF. Aliás, Justiça injusta e ignorante, por sinal. Muitos falam que não é o diploma que dará ao Jornalista a qualidade necessária para atuar na profissão. Claro, maus profissionais existem em qualquer área do conhecimento, não só no Jornalismo. Mas o diploma permite que esse profissional, caso faça alguma irregularidade, seja punido e não exerça mais ofício. Sem diploma, sem lei de imprensa, como fiscalizar o Jornalismo?

A pergunta que faço é a seguinte: como pode uma outra profissão, ou melhor ainda, uma outra área de conhecimento - que é o Direito, decidir o que é melhor para o Jornalismo? A declaração de Gilmar Mendes comparando o Jornalismo a atividade de Cozinheiro me mostrou o quanto o nosso Magistrado e, por que não dizer a Justiça, está desiformada - sendo capaz de permitir um retrocesso de aprendizagem de tamanha monstruosidade. Peço licença poética ao Ministro Joaquim Barbosa e grito: "Gilmar Mendes, vá às ruas!" 

O Jornalismo não acabou com o fim do diploma. E espero siceramente que as empresas de comunicação contratem apenas Jornalistas diplomados para exercer a profissão. Essa decisão mostrou mais uma vez o quanto que a sociedade desconhece como se dá atividade de Jornalista - sendo que estamos lado a lado das pessoas todos os dias. O Jornalismo não é só técnica, não é só texto, é também conhecimento científico. Assumo o erro: precisamos aproximar a Ciência da Comunicação da vida das pessoas. Talvez seja essa a principal missão do Jornalista contemporâneo.


O jornalista é produtor de conteúdo, organizador de informação e criador de novas abordagens midiáticas e estudos para compreensão da Comunicação na nossa sociedade. A informação transmitida de uma maneira errada ou equivocada pode provocar danos à terceiros. A regulamentação da profissão, com diploma e, posteriomente, a criação de Conselhos Regional e Federal, poderia ser uma alternativa séria de fiscalização e luta por uma imprensa mais independente, ética e responsável.

Vimos um retrocesso. Mas, o Jornalismo não morrerá. Ainda vive! É preciso colocar a boca no trambone e os próprios comunicadores serem porta voz dessa luta em prol do respeito e da qualidade da imprensa. Pelo menos da minha parte, a luta só está começando. Costumo comparar o Jornalismo à Medicina, pois as duas profissões lidam diretamente com a vida das pessoas. A primeira com a parte social e de propagação de informação. Já a segunda com a parte da saúde, que é tão importante quanto a primeira. Você iria a um médico que não tivesse diploma, mas que se diz autodidata e que estudou medicina por conta própria? Pense nisso.




:: Mais café, por favor!






Essa semana eu volto com mais Café com Notícias.





Jornalista

  • Compartilhar:

Sobre o autor

Wander Veroni é jornalista especializado em Mídias Sociais e um entusiasta do empreendedorismo na web. Para segui-lo, basta acompanhar @wanderveroni e @cafecnoticias.
Veja outras postagens →

Mais café, por favor!

40 comentários :

  1. Oi Wander,
    tudo bem? Vim logo ver a sua opinião sobre a decisão do STF e concordo plenamente com tudo o que você escreveu. Estou indginada com o fim da obrigatoriedade do diploma para jornalista. Nossa profissão não é valorizada. Seu texto está ótimo e expressa o meu pensamento também. Vamos torcer e nos unir para que o jornalismo seja regularizado corretamente.
    Abraços,

    ResponderExcluir
  2. Wander, dessa vez serei contrário à sua opinião. Em meu próximo post direi o porquê.
    Valeu,
    All3X

    ResponderExcluir
  3. Ei, como eu quero saber o pocisionamento da Letícia agora...

    ResponderExcluir
  4. Amigo,
    Fiquei triste com o que li agora, pois apesar de não ser jornalista, admiro muito a profissão.

    Eu acho que qualquer profissão deve ser respeitada e tratada com a devida consideração, pois pessoas sérias e comprometidas não fazem um curso superior à toa. E não dá para jogar o diploma no lixo!

    A classe deve mesmo se unir para exigir o que é seu por direito. Isso não se faz!

    Um blogueiro ou qualquer pessoa que queira trabalhar como jornalista pode muito bem dar um jeito de correr atrás do seu sonho e estudar. Mas quem já estudou para ser jornalista não tem como "desestudar" tudo e fingir que nada está acontecendo.

    Desejo sorte e determinação a vocês nessa luta!

    Abração

    ResponderExcluir
  5. Olá Wander, hoje passei a manhã descutindo sobre isso e na verdade eu não acho que vai prejudicar quem já tem diploma ou quem não tem. Aqui em Sampa mesmo qualquer um pode tirar MTB sem ser diplomado, o que vale de uma faculdade é o conhecimento e isso é sempre valido com diploma ou sem. Hoje ouvi o Boechat âncora do Jornal da Band e do Jornal da Bandnewsfm que passa de manhã que para ele nunca foi preciso diploma para ser jornalista e eu concordei plenamente. Tem muita gente diplomada e que escreve e notícia muito ruim e tem tantas outras que não tem a diploma de jornalista e noticia e escreve muito bem. Eu mesmo fiz questão de tirar minha MTB sem diploma e acho que escrevo tão ruim quanto algumas pessoas que vejo por aí. E ano que vem entro na facul de jornalismo do mesmo modo com diploma ou sem! Isso para mim não fará diferença. Portanto não se revolte afinal o que contará é seu conhecimento e sua qualidade e criatividade. Abraçoss!

    ResponderExcluir
  6. Infelizmente falar sobre educação no Brasil não é fácil. E com esse exemplo que o STF deixou nessa última quarta feira vai ficar pior. Considerando uma falta de respeito para com todos os jornalistas formados e os que estão cursando jornalismo, gostaria de saber se eles avaliaram o que poderá acarretar na vida desses jornalistas.

    Como pensar em desenvolvimento no Brasil tendo atitudes como essa? O que dizer ao filho quando ele indagar para você que não precisa estudar, pois nosso STF acaba de mostrar que não precisa diploma para exercer uma profissão.

    O que virá depois disso? Pois não acredito que a desmoralização da profissão vá fortalecer a democracia.

    Cris Menegon .:

    ResponderExcluir
  7. É mesmo difícil engolir essa decisão. Achei interessante seu ponto de vista quando fala sobre como é possível outra profissão decidir o que é melhor para a nossa. É um retrocesso, é um jogo de interesses sem fim que extingue 40 anos de validade do diploma. É mesmo uma verdadeira monstruosidade. Abraço!

    ResponderExcluir
  8. É um absurdo...

    Mas...

    Vai estar na cabeça dos que acham que administram a cidade!

    ResponderExcluir
  9. Oi Wander... Eu acho que as pessoas precisam entender que nós não estamos brigando por um cacho de bananas na feira. Concordo com vc em gênero, número e grau. O que queremos é respeito sobre a nossa profissão. A nossa luta é pela NÃO manipulação da verdade. Se verificarmos a história do jornalismo, no Brasil, veremos que o jornalista nunca foi respeitado, seja com o diploma ou sem ele. Criatividade é igual inteligência: cada um desenvolve da maneira que mais lhe é adequada. Realmente, pensando desta forma, qualquer um pode exercer a profissão. Mas, o que queremos é deixar de sermos vistos como “um bando de urubus na carniça”. Respeito e dignidade para todos aqueles que escolheram o jornalismo como profissão DIPLOMADA!!! Depois de tantos colegas torturados e mortos, não podemos aceitar que matem a nossa profissão. Podem me achar utópica, idealista, surreal. Mas, deixo aqui meu profundo manifesto: ABAIXO A DITADURA CAMUFLADA E A PERSEGUIÇÃO POLÍTICA NO SÉCULO 21.

    Desculpe o meu excesso, mas, não dá para controlar a minha revolta!
    Bjos e obrigada.

    ResponderExcluir
  10. Não sou jornalista, mas concordo plenamente com seu post. Qualquer um pode ser jornalista? Que piada.
    Valeu, abraços.

    ResponderExcluir
  11. Querido amigo avassalador...
    Fiquei chocada com a decisão. Seria o mesmo que permitir aquele medico que fazia cirurgias plasticas sem a devida habilitação operasse sem problema algum...Ou ainda, que um motorista de onibus não tivesse carteira profissional...Disparate!
    Vi um homem na TV, parece ser de uma associação da classe das empresas de informação... afirma que continuarão exigindo a devida formação em jornalismo para seus profissionais...
    Mas a brecha esta escancarada...

    ResponderExcluir
  12. PASSADAAAAAAA

    TO LOKA AGORAAA
    MAS VALEU
    NAUM SABIA DISTO

    ResponderExcluir
  13. Concordo com tudo o que você colocou, achei um absurdo o STF tomar tal decisão, primeiro porque acho que não é coisa para o STF decidir, em segundo lugar porque é uma profissão de grande responsabilidade então deve ser exercida por pessoas capacitadas para tal.
    A minha maior preocupação é de as grandes empresas jornaísticas começarem a contratar o amigo do diretor, amigo do filho do amigo do tio do redator, enfim virar cabide de emprego para pessoas não capacitadas que irão escrever erraro e dai por diante.
    Na blogsofera já temos uma amostra do que pode vir a ser isso tudo. Há blogs excelentes, mas há blogs que seus donos não sabem nem ortografia.
    Parabéns pelo texto.

    ResponderExcluir
  14. Lamentável essa decisão do STJ!!!

    Wander,

    Passei por aqui pra conhecer seu blog e voltarei mais vezes.
    Costumo acessar o Cena Aberta.

    Abraços

    ResponderExcluir
  15. Eu estava vendo televisão e mudando de canal, parou na TV senado e vi essa injustiça.
    Os profissionais da area ficaram a margem, pois " qualquer um " poderá vim a exercer a profissao.Uns que estudaram bastante e outros que nao fizeram 1/8 disso.Me deixa muito mais revoltada pois minha duvida era entre direito e jornalismo, optei por jornalismo e agora acontece essa banalização ridicula.

    ResponderExcluir
  16. Nossa, vi a noticia e logo pensei em vc...

    Apesar de cursar Rel Públicas, q devo registrar a minha indignação qto a essa decisão do STF. E com certeza há interesses de QI por trás.

    Apesar disso, acho q as empresas (sérias e éticas) irão dar sempre preferencia aos diplomados, principalmente por terem certeza de sua formação academica, diferente de uma pessoa que sempre trabalhou no ramo mas que desenvolveu habilidades que as vezes nao condiz com o que a empresa procura, ou estão lá por terem a sorte de ter costas quentes, mas que na prática, nao são bons profissionais.

    Claro que diploma nao é atestado de qualidade a ninguém, porém, e um importante instrumento de seleção, fora que isso com certeza irá impactar na qualidade das noticias que veremos no futuro pelos veículos de comunicação.

    Mas, nao sei, acho q essa lei vai cair... mais cedo ou mais tarde.

    Parabéns pela postagem Wander.

    Abçs!!!

    http://blogpontotres.blogspot.com/

    atualizado hj 18-06

    ResponderExcluir
  17. Compade, não consigo nem dizer nada. Nós, tão acostumados à tecnicidade e o uso da palavra ficamos emudecidos diante do fato. É como vc disse, como um profissional do Direito pode decidir sobre a jornalismo?

    Junto-me a vc na indignaçao e é como vc disse, a luta está apenas começando. As leis desse país ainda estão trepando em árvores como os macacos no que tange à regularidade da nossa profissão.

    Que não se enganem os seus leitores: comunicação é ciência e, como tal, requer instrução formal como a medicina. Já discutimos isso tantas vezes, não?

    Unamo-nos!

    Beijo carinhoso pra vc e estamos juntos!

    ResponderExcluir
  18. Olá, Wander!

    Eu sabia que você teria algo muito relevante ( como sempre, aliás) a escrever sobre este assunto.

    Fiquei indignado com a declaração do cappo Gilmar Dantas Mendes comparando o jornalista à cozinheira. Nada absolutamente contra as cozinheiras, imagine,e sim à desqualificação que este infeliz fez a profissionais que passaram anos na faculdade.

    Será que ele diria o mesmo do Direito, com um sem-número de faculdades picaretas "formando" advogados às pencas por aí? Mas deixa pra lá, não é esse o foco.

    Triste o país que tem a alta instância jurídica nas mãos de uma cambada como essa.

    Desviei o foco novamente, mas vamos lá: concordo plenamente com o que você diz aqui neste trecho:

    "precisamos aproximar a Ciência da Comunicação da vida das pessoas. Talvez seja essa a principal missão do Jornalista contemporâneo."

    Eu acho que este é o ponto. É o fundamental, embora saiba que empresas jornalísticas brigam mesmo é por audiência e venda de jornais, então usam todos os artifícios e a atividade do jornalista, muitas vezes, resuma-se a um "copiar/colar" releases de assessorias de imprensa.

    E entendo perfeitamente o ponto de vista destes jornalistas mais experientes que não passaram por faculdade e que hoje são excelentes profissionais.

    No entanto, eu vejo com vantagens, muitas vantagens, jornalistas passando pelo curso superior específico. É qualificação, é troca de informações, é laboratório, enfim, é algo que só acrescenta.

    Abs!

    ResponderExcluir
  19. Wander! Concordo com o que vc diz sobre a necessidade de termos jornalistas especializados e com uma formação diferenciada. Por isso mesmo acredito que muita gente não vai empregar profissionais sem essa especialização. Ninguém vai deixar sujeitos despreparados em seus veículos, porque cai a qualidade do jornal, da revista, do programa da TV e o público vai responder e deixar de comprar, de ler, de assistir.
    Ahhhh o público. Será que o público vai deixar de acompanhar o que for ruim? Aí é que está a chave para manter a qualidade no jornalismo. O público precisa dar o feedback negativo para quando a coisa estiver de má qualidade, assim entram os jornalistas formados com a boa qualidade, e o diploma pode continuar com seu peso. Mas será que o público tem esse discernimento? Aí entramos no mérito da educação no Brasil, a coisa fica mais tensa.

    Comentando seu post e o comentário no highpop, aliás, valeu a visita e parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  20. Se considerarmos que os principais articulistas e colunistas de revistas e jornais não têm diploma de jornalista, devemos pensar que eles tornaram oficial uma coisa que já acontece. Não acredito que isso vá prejudicar os jornalistas diplomados pela constante busca no mercado por profissionais da área, mas entendo perfeitamente aqueles que são contra a decisão do STF. Dá uma olhadinha no artigo na Carta Capital também, é uma opinião interessante.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  21. Concordo com a sua opinião. Ouvi falar que escrever uma notícia é arte, é o cúmulo. Quer dizer que uma pessoa que se dedica anos cursando uma faculdade de Jornalismo, nada aprendeu? Técnicas jornalísticas não se ensinam, pois é arte? É realmente complicado... Se for avaliar desta forma, muitas faculdades deixarão de existir, assim como a qualidade dos serviços.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  22. Será que estamos voltando no tempo?
    Ao invés de valoriar o estudo o governo abre espaço para quem não tem estudo. Lamentável!

    ResponderExcluir
  23. Acho que talento independe de diploma, mas o conhecimento adquirido em sala de aula é muito importante!
    As pessoas que já trabalham na função de jornalistas e não possuem o diploma deveriam ter um tempo para preencherem requisitos básicos da profissão como a conclusão do curso superior. Outras profissões já passaram por esse processo:Professores primários, fisioterapeutas, etc
    O ideal e sempre juntar o talento com o preparo acadêmico!

    ResponderExcluir
  24. Tema tanta gente bancando o jornalista sem diploma por aí, principalmente no meio esportivo, que acho que até faz algum sentido

    ResponderExcluir
  25. Vi essa notícia em um outro blog de notícias e achei interessante. Apesar de ficar com uma pulga atrás da orelha... MAS e quem tem o diploma, não sairá no prejuízo? Sei lá, enfim... Muito bom o seu blog. Parabéns!beijos!

    ResponderExcluir
  26. Oi, amigos!

    Desde já agradeço cada comentário: muito obrigado! Essa decisão do STF me preocupa, pois desvaloriza a Comunicação como Ciência e, ao mesmo tempo, o ensino superior como um todo.

    Sem contar no fato de que essa decisão abre precedentes para outras profissões, ou seja estamos em um retrocesso.

    Ao invés da Justiça incentivar que a categoria crie órgãos mais sérios de fiscalização da atividade, ela promove a ignorância dizendo que o Jornalismo é feito por intelectuais e que a medida promove a liberdade de imprensa: faça-me o favor!

    Será que é tão difícil estudar e concluir o ensino superior?

    Fazer notícia - que é uma das funções do jornalismo entre tantas outras, não exige só técnica, mas também conhecimento científico!

    Qualquer um pode ser Jornalista! Desde que estude para isso. O STF cometeu uma das suas maiores injustiças com a Educação.

    Não podemos ser egoístas de achar que o Jornalista que está no mercado não será afetado. Alguns órgão são tão hipócritas ao dizer que vão continuar buscando profissionais nas Escolas de Comunicação....tá, me engana que eu gosto! Será que vão mesmo? Isso pode provocar uma queda horrível na qualidade das notícias que chegam até você!

    Já vivemos em um país que não valoriza a educação básica, muito menos a formação pessoal do ser humano. Pensem nisso! O buraco é mais embaixo, galera!

    Abraço,

    Wander Veroni
    Editor responável pelo blog Café com Notícias

    ResponderExcluir
  27. Pera aí! O negócio é pior do que imaginei então. Usar alguém de outra área para falar sobre um assunto específico é uma coisa, agora transformar uma pessoa em jornalista da noite pro dia só porque escreve bonitinho é Esculhambação da informação e não democratização.

    Essa prática é antiga, sei disso, mas não deveria ser ratificada dessa forma. Colunistas de outras áreas sempre iriam existir, mas RIDICULARIZAR o jornalista é algo que me revolta. O jornalista é um profissional que tem como dever ter uma visão cosmopolita do mundo! Na faculdade não se aprende só lide não!!!

    O Gilmar Mendes (o cara que tem capangas como o Joaquim Barbosa disse) comparou o jornalista a costureiras e cozinheiros. Não estou dizendo que são profissões inferiores, todas as profissões são dignas, mas comparar uma profissão que HÁ NECESSIDADE de ter um nível superior com profissões que não precisam é de uma leviandade tremenda. Então, vamos acabar com a faculdade de direito porque eu sei me defender sozinho... (mentalidade retrógrada e imbecil).

    Profissionais de outras áreas que queiram escrever em jornais PRECISAM fazer pós em jornalismo e ponto final (embora eu gostaria de ter escrito reticências).

    Ser jornalista é estudar algo diferente todos os dias e não simplesmente escrever qualquer coisa no jornal...


    http://melhoropiniao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  28. Pra mim foi uma decisão precipitada...

    http://caopelado.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  29. Puxa, fico chocada com essa decisão.
    Estou prestes a prestar vestibular em comunicação e logo vem uma bomba dessa.
    É desanimador para quem já está formado.
    Chato isso.

    ResponderExcluir
  30. é cara, com certeza é uma injustiça tudo isso.. perdi tempo lendo os comentários, abrindo espaço para os que apoiam e para os que nao acham necessário o diploma.


    Sinceramente eu acho que isso vai trazer mais credibilidade aquele jornalista que tem o diploma, aquele jornalista que estudou, acho que essa decisão vai ajudar o jornalismo a ser uma profissão mais digna aos olhos dos outros

    Um jornalista de impresso recebe uma miséria para trabalhar todos os dias inclusive feriados e ainda assim não é reconhecido suficientemente.

    Não sou contra a decisão do STF, sou contra a afirmação que ele deu, acho que o diploma de jornalista é uma questão de estética. O que vale realmente é o estudo e sobre a comparação do médico, minha professora vive fazendo.

    Lembrando que dois dos melhores formadores de opinião aqui do sul não tem diploma. Lasier Martins e Paulo Sant'Ana e também vale lembrar uma citação que eu li ha muito tempo quando ainda estava começando no jornalismo.

    "O advogado acha que é Deus, o jornalista tem certeza que é."

    ResponderExcluir
  31. Oi, Uriel!

    Diploma não é só uma questão de estética. É uma prova de que o profissional possui habilitação necessária para exercer a profissão.

    Além disso, o diploma é um instrumento de fiscalização. Pois se um jornalista comerter um crime, ele poderá sofrer a punição de não mais exercer o ofício. Por isso é tão importante o diploma! Sem diploma, sem lei de imprensa, sem Conselho Regional/Fedral, como fiscalizar?

    Quanto ao jornalistas mais velhos que não tem diploma, o meu respeito e admiração. Mas, o mundo mudou! Se não lutarmos por uma profissionalização, ficaremos parados no tempo.


    Abraço,

    Wander Veroni
    Editor do blog Café com Notícias

    ResponderExcluir
  32. Grande Wander. Sempre representando com comentários que engrandecem os posts no Livre Iniciativa. Abraço.

    A minha opinião com relação ao seu post é o seguinte.
    Num país onde Gleisi Hoffmann ocupava o cargo de diretora financeira da Itaipú, tendo diploma de advogada e o médico Antônio Palocci o cargo de Ministro da Fazenda, quer esperar o que?

    Tá tudo errado.

    Eu como economista, não gosto de jornalista falando sobre economia sem embasamento teórico. Entendam bem minha opinião é relacionada a veículos de grande circulação, que informam a população leiga e não conversa informal.

    Se todos exercessem bem e tão somente suas determinadas funções.... Mas quem sou eu para dizer que uma faculdade é essencial, temos exemplos como Bill Gates, Marcelo TAS e muitos outros que são excelentes profissionais, verdadeiros exemplos sem ter o canudo.

    ResponderExcluir
  33. Pois é Wander, o STF age por interesse político e empresarial. Triste mesmo. Mas vamos batalhar pelos nossos diplomas. Abraços.

    ResponderExcluir
  34. Ai Wander,

    a cada vez que lembro dessa história fico mais nervosa!Não pela decisão em si porque acredito que na prática as empresas continuarão dando preferência pra jornalistas diplomados.

    O problema está na desvalorização do profissional, na chacota, na falta de respeito com quem levanta cedo, dorme tarde, não tem tempo pra comer, não tem vida social direito e que passa a vida inteira tentando transformar a sociedade por meio de informações. O jornalista é o representante do povo...é ele que denuncia as atrocidades que estão por aí!É ele que vigia os Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário.

    Eu conheço jornalistas que não passaram por faculdade e que trabalham muito bem. Tenho o maior respeito por eles e não gostaria que eles fossem afastados. Acho apenas que deveria ser criado um mecanismo que legalizasse estes profissionais que há tanto tempo estão no mercado, mas também indicasse que formação é importante.

    Se isso tá errado, por favor, fechem as faculdades! Pra que pagar tão caro? Passar noites em claro, estudar fins de semana, ler dezenas de teóricos, escrever monografia,penar pra ficar bem diante as câmeras...tudo em vão?

    Jornalismo não é só saber ler e escrever...a todo momento temos que fazer escolhas que envolvem uma série de coisas...são nestes momentos que recorremos à nossa bagagem acadêmica. A teoria e a prática devem andar lado a lado. Isso em qualquer área do conhecimento...até mesmo o chefe cozinha, viu!

    Nada tira da minha cabeça que essa decisão do STF foi pessoal...foi uma maneira de ridicularizar quem coloca o dedo na ferida dos ministros todos os dias! Gilmar Mendes se vingou...ele tentou arruinar a reputação dos jornalistas perante a opinião pública, porém...o que vejo é indignação do povo!

    Eu protesto hoje e sempre! O meu diploma vale muito...sou JORNALISTA por convicção, "dom" e mais importante, por FORMAÇÃO!

    OBS: Tenho vergonha do Brasil, país que não valoriza a educação! O jeito é ser político...enganar, enriquecer a custa de mentiras!

    Desculpem se radicalizei, mas realmente tô revoltada!

    ResponderExcluir
  35. Bah, não sou jornalista.. mas vivemos num mundo que é mais fácil colocar um video no Youtube do que cursar uma faculdade, acho que as coisas mudaram de vez!

    E o que os cozinheiros tem haver com essa briga? hauhaauhahahauh

    ResponderExcluir
  36. Realmente é uma decisão complicada.
    Fiquei me perguntando como é que Dr Dráuzio varela e outros profissionais de outras áreas fazem para escrever em jornais e revistas e participar de programas jornalísticos sendo q eles não tem diploma.
    Eu acho que o jornalista bom vai continuar e nada vai mudar.

    ResponderExcluir
  37. Erich, o Dráuzio Varela e outros médicos são colunistas, seja na Tv ou na mídia impressa. Não são jornalistas. Nada impede que um outra profissional escreva um artigo ou apresente um quadro por ser especialista em um assunto.

    Mas agora com essa decisão equivocada, nada impede que eles sem terem passado por uma faculdade de comunicação consiga o registro de jornalista profissional.

    Lamentável! Essa decisão do STF banaliza o Jornalismo como profissão.

    Abraço,

    Wander Veroni
    Editor do Café com Notícias

    ResponderExcluir
  38. Eu acho uma verdadeira sacanagem com a profissão. Não sou jornalista - quer dizer, agora posso ser né - e acho lamentável esta decisão, afinal, não estamos falando só de diplomas, e sim da vida de muitos profissionais que se sacrificaram para cursar e pagar faculdades, para exercer o trabalho de forma correta e ética. Fazer o quê...

    ResponderExcluir
  39. Isso é revoltante!!! O STF com tantas outras coisas para resolver, tantas leis para votar, decide brincar com uma profissão tão séria???!
    Infelizmente eles não valorizaram a importância do profissional de educação, pois ser jornalista não é brincar de escrever ou apresentar nada, o jornalista é um profissional sério e competente, e precisa sim de um diploma!!!!
    Abraços, querido amigo!!

    ResponderExcluir
  40. Olá,Wander.
    Eu sou estudante de jornalismo, e mais do que ninguém me senti no meio de um tiroteio.
    Lá na faculdade o assunto foi pouco comentado pelos docentes, os que comentaram, nos afirmaram que não vai interferir na nossa profissão diretamente. E que devemos pensar que como o nosso diploma, nós temos 4 ano na frente de qualquer profissional que se diga jornalista sem o diploma.
    Isso me acalmou profundamente, mas ainda acho que devemos lutar pelos nossos direitos e por um jornalismo profissional e qualificado.
    Bjos.

    ResponderExcluir

E-mail Newsletter

Cadastre seu e-mail e seja o primeiro a ficar sabendo o que rola no Café com Notícias

Adaptado por Giselle Carvalho | Imagem Header Crédito Psyho .
back to top