Café nas Eleições 2008 - Musicalidade e emoção dão o tom da disputa pela prefeitura de BH

setembro 25, 2008

A corrida eleitoral em Belo Horizonte (BH) vive um momento de tensão entre o candidato Márcio Lacerda (PSB), apoiado pelo atual prefeito de BH, Fernando Pimentel (PT) e o governador mineiro Aécio Neves (PSDB), e os demais candidatos que tentam fazer um coro para o segundo turno. Leonardo Quintão (PMDB), atual deputado federal, que está em segundo lugar, de acordo com a última pesquisa divulgada, tenta convencer o eleitorado pela emoção. Já a comunista Jô Moraes (PC do B), que começou a disputa em 1º lugar, e agora caiu para o 3º lugar, apela para a sua experiência de mais de 20 anos na vida pública como vereadora, deputada estadual e federal. Faltou uma certa dose e "maldade" na gestão da comunicação da campanha de para segurá-la nas "cabeças". Além disso, o pouco tempo na propaganda eleitoral prejudicou a candidata.


O tempo no horário eleitoral pode ter sido decisivo mesmo: afinal, Lacerda, um ilustre desconhecido da vida pública belohorizontina, subiu nas pesquisas só por causa do apadrinhamento de Pimentel e Aécio - e também pelos 10 minutos de horário eleitoral. Faltou articulação política e uma boa estratégia de comunicação da equipe de , no início. Agora já é percebido uma reação, mesmo que seja tarde. O mais novo padrinho dela, o vice-presidente José de Alencar chegou muito tarde na campanha. Além disso, inicialmente, a material de campanha dela, tanto a propaganda na TV e no rádio, eram muito simples e não tinha o apelo necessário para mantê-la no pálio. A estratégia mais equivocada de foi alfinetar Lacerda quando ainda estava bem nas pesquisas. Por mais que isso soe favorável para alguns, o eleitor mineiro ainda prefere o confete e a propaganda eleitoral bem feita.


Na avaliação geral, tanto de especialistas, quanto do eleitorado mais politizado, é uma das concorrentes mais preparadas para o posto. Infelizmente, os bons políticos ainda não acordaram para a importância de uma boa equipe de comunicação dentro de uma campanha. Articulação política é tudo. Com seu 1 minuto e meio, deveria ter buscado uma união com outros partidos para que juntos tivessem um tempo maior no horário eleitoral e uma renda significativa para se investir na propaganda política. Em contrapartida, o candidato da aliança petista e tucana, investiu pesado em jingles, juntou vários partidos na sua coligação e transformou o horário eleitoral emum documentário biográfico. As propostas demoraram para aparecer e Lacerda para falar - já que ele mesmo reconhece o jeito tímido para lidar com as câmeras. Deu certo, pelo menos nas pesquisas: de terceiro, ele subiu como um foguete para o primeiro lugar. Se pudéssemos classificar as eleições munipais de 2008, em BH, seria a eleição musical. Todos os candidatos tem um jingle envolvente que marca. Mas Lacerda poderia lançar um CD à parte. É o candidato com mais jingles no ar, tanto para assinaturas das propagandas, quanto de clipes dentro do programa eleitoral.


Com certeza, um dos planos de Lacerda é investir em cultura, ou melhor em música. Os profissionais da área agradecem pelo din-din êxtra nesse período. Outro que ganhou o troféu de paradas de sucesso, foi o democrata Gustavo Valadres (DEM), que é filho do ex-presidente do clube Atlético Mineiro, Ziza Valadares. Assim como o clube que o pai comandara, Valadares está na lanterninha do campeonato pela prefeitura de BH. Mas em compensasão, o refrão do jingle dele ganhou a boca do povo e é um verdadeiro chiclete eleitoral - em rítmo de axé: "Belo Horizonte na palma da mão, Gustavo no coração!". Daí vc já imagina o apelo que o jingle causa. Jô Moraes já trouxe um jingle em ritmo de samba, feito pelo mesmo autor do jingle "Doutor BH", que elegeu Célio de Castro. Tomara que dê sorte, pois Célio quando foi eleito estava numa situação parecida da Jô. Se o jinge ajudar a eleger alguém, desejamos sorte aos candidatos, então.


Leonardo Quintão (PMDB), que está em segundo lugar nas pesquisas, chama atenção não por causa do jingle, mas pela emoção. Isso mesmo: com poemas sobre "a importância do eleitor", muito bem escritos e declamados, por sinal, Quintão ganhou notoriedade por dar esse caráter mais emotivo à sua campanha. O candidato mostra uma vontade tão grande de querer ser prefeito que comove - e convence muita gente. O que é preciso chamar atenção do eleitor belohorizontino é para a concientização. Na hora de votar, não vá simplemente pelo jingle bacanudo, nem por frases de efeito. Estude o seu candidato e exige que ele honre seu voto. Afinal, durante quatro anos ele vai governar o local aonde você mora. Agora, já que estamos na internet, dos candidatos de BH (ou da sua cidade), você já entrou no site de algum deles para ver as propostas? Ou ainda já colocou o nome deles no Google para ver as matérias relacionadas? A pesquisa simples é pode mudar uma eleição. Pense nisso.




Essa semana eu volto com mais Café com Notícias.



Jornalista

MAIS CAFÉ, POR FAVOR!

16 comentários

  1. o triste é ver que não só em BH como em quase todos os outros lugares, a pesquisa, o tempo no horário eleitoral e outros fatores influenciam os eleitores, falta personalidade na hora de votar.....

    ResponderExcluir
  2. É infelizmente o marketing bem feito influencia até mesmo na escolha de nossos representantes...
    Já ta na hora de o povo começar a ver quem realmente tem as melhores propostas e nao quem tem a melhor aparencia...

    suscesso ae, abraço...

    ResponderExcluir
  3. Wander,

    Eu confesso que qualquer opinião que eu dê sobre estratégias de comunicação eleitoral serão só pitacos. Eu cresci numa realidade política em que os militantes faziam a campanha eleitoral e onde os projetos políticos atraíam os militantes.
    Mas como essa realidade deixou de existir nos grandes centros urbanos, eu me concentro no meu papel de eleitora e analiso com calma os discursos dos candidatos.
    Foi um deleite ler um panorama tão interessante quanto esse que tu trouxe, ainda mais que é de BH, uma das cidades com a política mais sui generis onde já estive.

    Abraço,
    Carla

    ResponderExcluir
  4. Meu amigo, ontem escrevi um artigo sobre as eleições, para um jornal aqui da região, creio que será publicado no final de semana. Questionei e muito a questão do eleitor que se deixa enganar pelos marqueteiros, acreditam em tudo que escuta, vêem ou lêem, sem 'sacar' o quanto é um jogo maquiavélico que ganha quem tiver mais 'poder'. É triste, mas em BH e não só, há esse problema, eleitores que não 'pensam' e são enganados... O Senso comum dinamiza a mediocridade. Abraços

    http://visaocontraria.blogspot.com/

    passa lá, atualizado!

    ResponderExcluir
  5. É, as eleições estão se aproximando e todo o Brasil vai decidir o qeu fazer. Existem bons marketeiros que escondem (é claro) a imagem corrupta de cada candidato, mas cabe a nós (eleitores) decidirmos pelo certo, sem qualquer tipo de influência!
    Parabéns pelo post!!!
    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Nãoa companho de perto as eleições de outras cidades mas em São paulo a guerra dos marqueteiros é violenta ... conseguem deixar o chato, legal.

    ResponderExcluir
  7. Acabo de receber o selo "Esse blog me dá asas" do blog "Trilha Sonora De Filmes" e indiquei o seu blog....

    Passa no www.leojukeblog.blogspot.com
    e pega o selo....

    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Oi amigo, blza?

    Adorei o post sobre as eleições municipais!!! Concordo que as campanhas dos candidatos a Prefeitura de BH vem utilizando artifícios diversificados para atrair o voto do eleitor, que vai desde o jingle-chiclete até ao uso extremado do sentimentalismo.
    O candidato Márcio Lacerda, atual líder nas pesquisas, certamente está se favorecendo da boa imagem do prefeito Fernando Pimentel e do governador Aécio Neves junto à população. Com isso, Lacerda, até então desconhecido da maioria da população, ganhou destaque por dizer que irá continuar o trabalho desenvolvido por Pimentel e manter a parceria com Aécio.

    Mas, o que chama a atenção nesta campanha eleitoral é o pouco ou quase nenhum tempo destinado a propostas viáveis de campanha. Lacerda pretende "aprimorar" o que Pimentel fez ao longo dos últimos 8 anos. Já Gustavo Valadares, quer construir diversas ciclovias para sanar o trânsito da capital, isso sem contar com a marcação de consultas especializadas pela internet e por telefone feita pelo próprio usuário. Leonardo Quintão, usa do sentimentalismo para convencer o eleitor a refletir sobre a sua verdadeira vontade.
    Sérgio Miranda e Jô Moraes, infelizmente não conseguiram alavancar as respectivas campanhas, por mais experiência que tenham no cenário político. Faltou a eles uma melhor estratégia de campanha, isso é, mais aliança de partidos para ganhar um maior tempo no horário eleitoral e um bom marketing para divulgar suas idéias.

    Há 8 dias das eleições, o belo horizontino ainda pode surpreender nas urnas. O voto é a melhor maneira do eleitor demonstrar sua satisfação ou seu descontentamento com a atual gestão. Pimentel fez sim um bom trabalho a frente da prefeitura de BH, mas não tenho empatia por Lacerda. Talvez isso venha pelo fato dele utilizar como porta-vozes de campanha, os seus principais aliados: Pimentel e Aécio.

    Agora é esperar para ver.

    Bjos.
    Luciana

    ResponderExcluir
  9. Maria Eduarda Oliveira26 de set de 2008 11:17:00

    O mais triste é ver os candidatos de BH sem nenhuma articulação política em torno de propostas para realamente fazer BH mudar para melhor. Somente o mais do mesmo. A sua análise ficou ótima, parabéns. Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Wander, vou chamar a atenção para dois fatores: a hipocrisia e o desequilíbrio.

    A hipocrisia está na composição de uma chata que contemple, juntos, PT e PSDB. O PC do B, partido de Jô Moraes, está e esteve com o PT em nível nacional. Aqui, não. O PT está com os outros. Em SP, Aldo Rebelo, do PC do B, é o vice da Marta.

    Por estar sozinho, o PC do B faz lembrar o desquilíbrio. Este está na distribuição do tempo no Horário Eleitoral. Por que eles são díspares? Qual é a lógica disso? Nós, que trabalhamos ou trabalharemos com mídia, sabemos que muitas decisões estão atreladas à repetição. Se um candidato aparece a toda hora, apresentando propostas e criticando outros, e eu estiver indeciso, eu vou votar nele. É assim que funciona. Portanto, quem tem mais tempo sempre terá mais chance. Isso é justo? Representa uma campanha em igualdade de condições?

    A corrida à Prefeitura de BH ilustra muitas coisas, realmente.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  11. Que vença a Jô Moraes...quem acompanha política sabe que ela é super presente e ama o que faz. Quanto ao laranja Márcio Lacerda...melhor nem comentar, afinal...quem tá do lado dele?

    ResponderExcluir
  12. Olá Wander. Tenho que admitir, e posso dizer com certo conhecimento, pois fazia estágio na agência que cuida da campanha da Jô. Eles perderam a mão. Como você mesmo disse, não souberam aproveitar o momento quando estavam na frente, e com uma coligação forte como a do Márcio, seria inevitável a virada na hora do horário eleitoral.

    A campanha do Quintão realmente tá MUITO boa. Márcio Lacerda não faz nada, só aparece. Quem faz a campanha dele é o Aécio e o Pimental. Sem eles, o Márcio não estaria onde tá agora.

    No mais é isso.

    Parabéns pelo blog

    abraço!

    ResponderExcluir
  13. Acho que vc não sabe que eu sou politiqueiro, né?

    Pois então. Quando eu apóio um candidato eu sou capaz de brigar pra ganhar com os adversários (no sentido política, claro).

    Mas o que realmente me irrita, são as músicas bestas que eles colocam na rua no último volume...

    "Vote quarenta e cinco, mais uma vez, prefeito. Zé Dito trabalha direito e cumpre o que promete..."

    dai vem o outro...

    "Vote no Jurandir, Jurandir fez, faz e vai fazer..."

    eita... parece que nunca acaba... sinto saudades dos "Show-micio" (nem sei se escreve assim, mas é aqueles shows que os candidatos oferecem)...

    achava mais interessante que a propaganda gritada no meio da rua...

    abçs



    Lucas de Oliveira

    ResponderExcluir
  14. "Agora, já que estamos na internet, dos candidatos de BH (ou da sua cidade), você já entrou no site de algum deles para ver as propostas? Ou ainda já colocou o nome deles no Google para ver as matérias relacionadas? A pesquisa simples é pode mudar uma eleição. Pense nisso."
    Agora alfinetou todos nós...
    Muito bom esse final, foi categórico. Pouco fazemos para conhecermos melhor sobre nosso possíveis governantes. Votamos no escuro, ou melhor, na ofuscante luz dos holofotes, que não deixam ver muita coisa...
    A campanha municipal de Vitória anda literalmente em ritmo de vitória, afinal, em primeiro lugar, o atual prefeito já ultrapassa a casa dos 60% nas pesquisas...

    ResponderExcluir
  15. AAAAHHHHHH,em quem votar meu Deus?
    Jô,Leonardo,Márcio??? Pelo menos no Gustavo,no Periquito,na Vanessa e no Sérgio eu ja sei que nao vou votar.
    Mas,estou em dúvida.
    E o jingle do Gustavo grudou aqui em casa. A emoção do Quintão já comoveu meus avós e eles já decidiram seu voto.

    Tenho uma semana pra decidir.

    Abraços

    ResponderExcluir