Não é só de números que se vive um Analista de Mídias Sociais

maio 22, 2012



Hoje em dia, estar nas redes sociais é uma condição a ser analisada em qualquer bom plano de comunicação. Não basta ter um perfil e deixar ele parado, atualizando de vez em quando. Estar nas redes de forma atuante é estratégico, pois só assim será possível estabelecer uma relação mais direta com o público-alvo, além de poder monitorar o que se está se falando de uma marca, produto ou cliente. Dentro desta perspectiva, surge uma nova profissão: o analista de mídias sociais.

Muitas vezes, o assessor de imprensa acaba assumindo também a função de analista de mídias sociais do seu assessorado. Outras vezes, dentro de uma assessoria de comunicação, é importante avaliar a real necessidade de se contratar um profissional ou uma equipe que cuida diretamente das redes. Depende da realidade de demanda do assessorado em questão e a forma como o relacionamento dele nas redes será [ou é] construído.



Há também uma triste realidade. O assessor de imprensa estafado com o excesso de atividades diárias e por falta de conhecimento da dinâmica das redes, despeja a manutenção dos perfis nas redes sociais no estagiário. Não que o estagiário não tenha condição de executar tal tarefa. Não é isso. O estagiário está ali para aprender, e não deve ser cobrado com a mesma responsabilidade de um profissional já formado e com experiência. É diferente. O que acontece, geralmente, é que o estagiário não é treinado ou orientado para tal função. E isso é muito perigoso!

O trabalho em redes sociais envolve planejamento e traquejo no relacionamento com os internautas. Você vai ler opiniões afetuosas e agressivas. Você está preparado para isso? Vai conseguir manter a linha em um momento de crise de imagem? Sim, vai. Se você não consegue fazer isso, é hora de contratar outro analista de mídias sociais ou mudar de profissão – caso você atue na área. Trabalhar com as redes exige educação. A maior parte dos internautas gosta de atenção e quer se sentir acolhido.

Fazer um trabalho sério com as redes sociais não é só ter número, presença e grande quantidade de posts, amigos e seguidores. É muito mais do que isso: o trabalho de gestão e produção de conteúdo nas redes sociais envolve relacionamento com os internautas e pesquisa. Muitas vezes, por ignorância, o assessorado se deixar levar apenas pela relevância dos números. Ter presença nas redes sociais é muito maior do que números. Números podem ser mentirosos e não mostrar a dinâmica real das redes.

O assessorado e o assessor (analista de mídias sociais) que leva em conta apenas números, pode estar entrando em um grande engodo. Do que adianta usar scripts para inflar o número de seguidores, adicionar de forma aleatória muitas pessoas, só por conta dos números? Isso é mentir para si mesmo. Ou ainda, postar de minuto a minuto sem ter conteúdo relevante ou só fazendo merchan do perfil do assessorado. Isso é uma grande ilusão!

Já vi pessoas, empresas ou marcas frustradas com o seu desempenho nas redes por conta dessa ilusão de que ter muitos seguidores, curtições ou compartilhamentos é sinal de sucesso. Nem sempre. É preciso cuidado. A banda não toca só assim! Existem analistas que possuem um exército de fantasmas (perfis fakes) que agridem diariamente o concorrente e falam bem do cliente. Esse tipo de ação é viver na mentira. É acreditar num falso relacionamento.

Os internautas que tem certa vivência nas redes sabem identificar um fake, um boot (perfil criado só para gerar agressões ou desentendimentos nas redes) ou um salsa (usuário que entra nas redes só para gerar a discórdia). Numa época em que trabalhar com as redes sociais está na moda, desconfie dos analistas de mídias sociais ou de agências que oferecem resultados nas redes sócias baseado apenas em números. Isso é furada! O trabalho sério em redes sociais demanda tempo e, na maior parte das vezes, o resultado é a longo prazo e demanda interação diária, paciência, educação, respeito e, acima de tudo, conteúdo de qualidade.


Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, curta a Fan Page no Facebook, circule o blog no Google Plusassine a newsletter e participe da comunidade no Orkut.




Jornalista

MAIS CAFÉ, POR FAVOR!

3 comentários

  1. Puxa vida, parabéns pelo post. É um desabafo e uma ajuda e tanto para quem está trabalhando em mídias sociais. Também acredito que um bom relacionamento com o internauta e um conteúdo de qualidade podem gerar resultados positivos. Números são apenas números...ao lidar com pessoas precisamos ir além dos números.

    ResponderExcluir
  2. Kelly Cristina de Almeida22 de mai de 2012 08:54:00

    Muito legal este artigo. Vou divulgar para o pessoal da minha sala na faculdade. Quem disse que trabalhar com redes sociais é moleza é pq não sabe de nada...rsrsrs

    ResponderExcluir
  3. O que tem de analista de mídias sociais picareta por aí, ainda mais em um ano de eleições. Quem contrata esse tipo de serviço precisa fazer uma pesquisa séria. O que não falta é exemplo de casos que detonaram a imagem da empresa por conta de mal gerenciamento.

    ResponderExcluir