Desabamento de Prédio no Rio de Janeiro

janeiro 27, 2012

Ao fundo do Theatro Municipal, no centro do Rio de Janeiro, três prédios
desabaram. Foto: Juca Varella/Folhapress
.

Quarta-feira, 25 de janeiro de 2012. Por volta das 20h30, três prédios de 18, 10 e 4 andares desabaram na região da avenida 13 de Maio, no centro do Rio de Janeiro. De acordo com as primeiras informações do Centro de Operações da Prefeitura, cinco pessoas feridas foram levadas ao Hospital Souza Aguiar, também no centro do Rio. Ao menos 19 pessoas estavam sendo procuradas nos escombros, até aquele momento.

A primeira emissora a dar essa notícia foi a Rádio Band News FM no ar e via Twitter. Logo depois, todos os veículos de comunicação começaram a dar uma ampla cobertura do caso de forma ética e bastante equilibrada – pelo que consegui resgatar desde então pela internet. No dia seguinte, as imagens dos noticiários impressionam. Assista abaixo a reportagem do Jornal Nacional, da Rede Globo, sobre o desabamento do prédio no Rio:

Por conta de uma rotina intensa de trabalho, à noite, ao chegar em casa, não assisti os noticiários, nem entrei na internet. Preferi tomar um banho, comer alguma coisa e depois dormir. No dia seguinte, já na quinta-feira (26), como sempre faço, fui para o trabalho ouvindo a @radiobandnewsfmBH. Foi ao sintonizar a rádio, que soube do #DesabamentoRio. Fiquei preocupado! Como três prédios podem cair assim de uma hora para outra? Obra mal feita? Vazamento de gás? Atentado terrorista?

Comecei a pensar em algumas possibilidades enquanto acompanhava a cobertura da rádio. Nunca fui ao Rio de Janeiro. Conheço a cidade por fotos de amigos e pela televisão. Mas pela localização que o repórter dava do desabamento, consegui visualizar que o prédio era aquele que ficava atrás do Theatro Municipal, um lugar do centro histórico do Rio que imagino ser movimentado. Imagina se esse desabamento fosse de dia? Deus me livre. Provavelmente, poderíamos estar comentando agora uma tragédia muito maior.

No trabalho, como tinha outros afazeres que não me possibilitariam acompanhar a cobertura pela TV e em tempo real pelos portais de notícias da internet, fiquei com o rádio e não me arrependi. Sempre que havia novas informações, a Praça do Rio de Janeiro entrava na programação, dando as últimas atualizações. Só ao final do meu trabalho, entrei nos sites para ver as fotos, as imagens da tragédia. Lembrei do Word Trade Center. Muita poeira e entulhos.
Corpo de Bombeiros e Defesa Civil no trabalho de resgate de vítimas do desabamento
do prédio no centro do Rio de Janeiro. Foto: Daniel Marenco/Folhapress
.

Há tarde, fui ao analista e, na sequencia, ao dentista. Minha única fonte de informação sobre as últimas atualizações continuou sendo a Rádio Band News FM. Mesmo hoje tendo a possibilidade de acompanhar as notícias pelo celular smartphone – seja entrando na internet, seja acessando TV ou Rádio, optei pelo rádio por que gostei do tom da cobertura e a forma pudente e segura que a emissora estava tratando o ocorrido.

Assim que cheguei em casa, assisti os telejornais e vi a repercussão do caso nas redes sociais. Infelizmente, por conta do cansaço, não postei nada a respeito, mas fiquei com isso na cabeça. Agora que tive um tempo, achei bacana compartilhar essa experiência com vocês. Num momento em que as redes sociais – e porque não dizer a internet, está em franca ascensão, tenho voltado o meu olhar novamente para o rádio, em especial para a Rádio Band News FM que está fazendo um trabalho sério e dando uma linguagem jovem para as notícias, coisa que estava faltando principalmente aqui em Belo Horizonte. Fica a dica para quem gosta de ficar bem informado.

Desabamento no Rio

No início da noite desta sexta-feira (27), subiu para 13 o número de corpos resgatados nos escombros do desabamento do prédio na área central da cidade do Rio de Janeiro. Segundo a Defesa Civil, as vítimas são 5 homens, 4 mulheres, e 3 com sexo ainda não informado. Os últimos corpos encontrados estavam em um local onde seria uma das saídas do edifício Liberdade, de 18 andares, o primeiro que desabou.

Veja também

"Lamentavelmente, não acreditamos em sobreviventes. Eu preciso dizer que a gente não trabalha mais com a possibilidade de sobreviventes. Todos os corpos estavam muito machucados. Esse cenário mostra para gente que houve um impacto muito forte da estrutura. Não retiramos nenhum corpo que não tivesse com algum tipo de trauma. Finalmente, entramos na parte onde nós acreditávamos que houvesse o maior número de corpos. O que nos faz pensar que as pessoas tentaram sair em razão da proximidade com a caixa de escada. Esses últimos estão próximos da escada e do corredor, tentaram sair. A gente começa a imaginar que o prédio deu sinais de desabamento e houve um momento que as pessoas tentaram sair dele", relatou o secretário estadual de Defesa Civil, coronel Sérgio Simões, que lidera os trabalhos.



Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, curta a Fan Page no Facebook, circule o blog no Google Plusassine a newsletter e participe da comunidade no Orkut.




Jornalista

MAIS CAFÉ, POR FAVOR!

3 comentários

  1. Francisco Bertoletta27 de jan de 2012 22:17:00

    Tenho que concordar contigo, Wander. O noticiário do Boechat na Rádio Band News é a melhor coisa do rádio nacional atualmente. Assim como você acompanhei a cobertura do desabamento do prédio pela rádio no início da manhã. Acho que a Band News está fazendo um jornalismo pioneiro e de primeira. É uma equipe muito boa.

    ResponderExcluir
  2. Olha, faz tempo que não escuto rádio. Não porque não goste, mas acho que perdi o hábito. Hoje em dia me informo mais pela internet e, de vez em quando pela TV. O que mais gosto do seu blog é o modo como você sempre traz as notícias, é diferente de tudo que já vi. Parabéns pelo espaço e continue assim. :)

    ResponderExcluir
  3. Ei Wander! Nossa, que triste isso que aconteceu no Rio de Janeiro. Desabar três prédios assim do nada me dá calafrio só de imaginar. Querido, adorei o post viu. Arrasando como sempre nas coberturas jornalísticas. Mil beijinhos!!!

    ResponderExcluir