Café no Pan 2011 – Atletas brasileiros se destacam, mesmo com trapalhadas da Record

outubro 28, 2011

Diego Hypolito, atleta da ginástica artística do Brasil no Pan 2011,
no México. Foto: Jefferson Bernardes/VIPCOMM.



Se tem um episódio que ficará marcado nesta edição dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara 2011 é a força de vontade e superação dos atletas brasileiros. Durante toda competição até então, o Brasil ocupou o segundo lugar de medalhas geral, algo inédito, diga-se de passagem. Nesta sexta-feira (28), o Brasil foi ameaçado por Cuba, mas logo recuperou a sua posição de vice, conquistando 45 medalhas de ouro, 31 de prata e 52 de bronze, totalizando 128. Clique aqui e confira a cobertura do Café com Notícias no #Pan2011.

Entre os destaques esportivos do dia, não teve como não se orgulhar da determinação dos irmãos Hypolito, que saíram de Guadalajara vitoriosos, não só pelo fato de Diego ter levado dois ouros e Danielle o bronze, mas porque deram um exemplo de união, do quanto é bonito ver um irmão torcendo pelo outro, principalmente no esporte onde a rivalidade é muito estimulada.
Leandro Cunha, atleta de judô do Brasil no Pan 2011,
no México. Foto: Jefferson Bernardes/VIPCOMM.

Do outro lado da quadra, ou melhor, do tatame, o judoca Leandro Cunha, também faturou a sua medalha de ouro, nesta sexta-feira (28), vencendo o americano Kenneth Hashimoto por ippon na categoria meio-leve (até 66 kg). No dia anterior, os judocas Leandro Guilheiro e Tiago Camilo também fizeram bonito e levaram o ouro, nas suas respectivas modalidades (e peso).

Já a seleção masculina de basquete perdeu para a República Dominicana por 85 a 77 e não se classificou para as semifinais dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. Agora o Brasil, que havia vencido as últimas três edições do torneio, vai disputar do 5º ao 8º lugar no México.

Mas, o mais revoltante de tudo que está acontecendo no #Pan2011, é ver emissoras brigando por picuinha, por vaidade. Enquanto a Globo se recusa a pedir imagens para a Record, a emissora da Barra Funda cria uma algazarra na mídia, propondo mais um round na infindável guerra pelo monopólio audiovisual brasileiro – já que se falarmos em audiência as coisas não foram assim tão boas como a Record faz questão de espelhar.
Seleção Masculina de Basquete do Brasil no Pan 2011
em Guadalajara, México. Foto: Divulgação/VIPCOMM.

Além dessa briga de egos entre emissoras, o colunista Ricardo Feltrim trouxe na coluna Ooops! a notícia de que a Record teria criado uma patrulha de estagiários para falarem bem da transmissão do Pan-Americano, mas ao ver a ação vazada na mídia, desistiu da ideia. Clique aqui para ler a coluna na íntegra. Mais do que tentar ludibriar a opinião pública, a Record se mostra frágil ao ter problemas em aceitar as críticas e o que contribui, consequentemente, para o descrédito dos telespectadores sobre aquilo que ela oferece.

Mesmo anunciando para os quatro cantos do mundo a aquisição dos Jogos Pan-Americanos até 2019, a Record precisa investir em bastidores, em profissionais que sabem fazer a diferença numa transmissão esportiva internacional e, acima de tudo, oferecer treinamento para que os exageros da transmissão do #Pan2011 não se repitam. Não adianta esbravejar que falta humildade na Vênus Platinada quando se tem telhado de vidro. Hora de começar a se pensar numa nova postura editorial e aprender com os erros.






Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twittercurta a Fan Page no Facebook, circule o blog no Google Plus, assine a newsletter e participe da comunidade no Orkut.





Wander Veroni
Jornalista

MAIS CAFÉ, POR FAVOR!

4 comentários

  1. Vi a competição de ginástica hoje pela Record. Admiro muito os irmãos Hypolito...eles amam o esporte e fazem isso com uma paixão que enche a tela. Quanto as trapalhadas, só digo uma coisa: se continuar desse jeito a Record vai cavar a própria cova...o telespectador não é trouxa.

    ResponderExcluir
  2. Ler os seus comentários sobre o Pan tem sido mais interessante do que assistir a transmissão da Record. FATO!

    ResponderExcluir
  3. Vivian de Oliveira29 de out de 2011 20:19:00

    O Brasil se superou nesse Pan e está muito bem no quadro geral de medalhas. Mais do que mostrar a briga entre as emissoras, elas deveriam se preocupar em falar dos atletas, pois são eles que são as estrelas dos Jogos Pan-Americanos.

    ResponderExcluir
  4. Admiro a determinação dos irmãos Hypolito - Daniele e Diego, que elevaram a ginástica rítmica brasileira a outro nível. Também foi muito bom ver o judô levando tanta medalha de ouro. Creio que é a melhor safra do esporte em anos. Abraço

    ResponderExcluir