#CaféEntrevista: Helena Barone fala sobre jornalismo, carreira e desafios

setembro 19, 2008

Ela é uma das mais conceituadas jornalistas de Minas Gerais e durante 12 anos esteve à frente do Jornal da Alterosa. Estamos falando de Helena Monteiro Vieira Braga Barone, jornalista conhecida como Helena Barone, que atualmente é repórter e redatora do programa Vrum, do SBT/TV Alterosa - especializado em automóveis e único programa produzido em Minas e exibido em rede nacional.

Formada em
Comunicação Social com habilitação Jornalismo pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e pós-graduada em Formação Política e Econômica da Soc. Brasileira, pela Newton Paiva, Helena atualmente tem se dedicado a sua mais nova vocação: a maternidade.

Ela se divide entre a redação da TV e os cuidados da pequena Alice, de apenas nove meses. Diferente de muitas mães, o que prova a sua personalidade e autenticidade, ela gosta de rock de todos os tempos, e adora filmes de guerra, apesar de não ter muito tempo para assistí-los.

Como boa filha dessa terra, Helena gosta de admirar a cidade do alto, lá da Praça do Papa, um dos cartões postais mais bonitos de BH. Mas também reafirma que seu lugar preferido em Minas é a casa da mãe, em Juiz de Fora, sua terra natal. Admira o bom humor das pessoas e assume que o ser humano precisa controlar melhor as suas vaidades. Perguntada sobre o que mudaria no mundo, Helena é taxativa: "acabaria com a poluição que atrapalha a respiração, o cabelo, a pele! Faz cair demais nossa qualidade de vida".

Há algum tempo, conheci a Helena, como milhares de mineiros: pela TV. Todos os dias almoçava assistindo ela e toda equipe do Jornal da Alterosa, diariamente. Posteriormente, na faculdade de jornalismo, tive a aoportunidade de encontra-la pessoalmente, num evento organizado pelos alunos do Uni-BH e orientado pela professora Wanir Campelo, chamado Entrevistando quem Entrevista, no qual alunos de jornalismo, convidam jornalistas formados para falar sobre como é a rotina de trabalho. Muito tempo depois, já formado, encontrei com Helena novamente, só que desta vez no mundo virtual. Aqui no Café com Notícias postei uma notícia sobre a saída dela do comando do Jornal da Alterosa.

Após alguns dias, ela entrou em contato comigo via e-mail. Conversamos também por telefone. Do nosso papo surgiu o convite para Helena voltar novamente aqui no Café e contar sobre esse novo momento da sua carreira, sem "disse-me-disse", de forma transparente. Transparência. Talvez seja essa palavra que melhor define Helena. Para quem não há conhece ou só apenas ouviu falar, derrube todos os pré-conceitos. Helena é uma pessoa super agradável, tranquila e boa de papo. É detalhista, séria e gosta de um trabalho bem feito. Mas quem não gosta? Numa conversa informal, via e-mail, ela topou o convite e fala um pouco sobre o nosso ofício, o jornalismo. Acompanhe a entrevista abaixo:



:: ENTREVISTA



1) Muitos estudantes de jornalismo tem dúvidas em relação ao contato com a profissão. Principalmente, os que querem estagiar ou os recém-formados. Gostaria que contasse um pouco da sua história com o jornalismo.

Minha sorte foi passar numa seleção de estágio no meio da faculdade. Foi para a antiga Mendes Júnior, na época, uma megaempresa! O estágio contou com experiência até em TV. Com ele, fiz contatos e nunca mais saí do mercado.

2) Durante 12 anos vc foi editora-chefe de um dos telejornais mais vistos no nosso Estado. Como foi essa experiência na sua vida? Gostaria que contasse também a sua história na TV Alterosa. Vc já trabalhou em outras emissoras?


Na verdade, como editora-responsável fiquei cinco anos. Outros quatro foram como editora-assistente e o restante, como repórter. Fui também editora-assistente no começo do Jornal da Alterosa - 2ª edição. Olha, adoro mexer com texto, organizar informações, descobrir um detalhe que faz diferença. Então, adoro ser editora. Mas estar à frente de um telejornal é muito mais que isso.

É preciso ter agilidade para resolver várias coisas ao mesmo tempo, é preciso organizar informações e decidir quais são prioridade, é preciso coordenar ânimos e pessoas, analisar comportamento de audiência, ficar de olho na concorrência. Ficava o dia todo absorvida pelo trabalho. Estar numa posição assim é respirar trabalho o tempo todo. Eu cheguei à Alterosa como repórter, trabalhando em Divinópolis. Quase 12 anos depois, volto a ser repórter, agora numa experiência pioneira no Brasil: fazer em BH um programa de rede nacional. Está sendo uma experiência fantástica!


3) Helena, a TV Aberta é muito criticada pelo público pela baixa qualidade de algumas produções que vira e mexe ganham repercussão, não pelo seu conteúdo, mas por envolver pseudo-polêmicas que nada acrescentam a sociedade. Qual é a sua opinião sobre a TV Aberta?

A televisão tem missões sociais e compromissos empresariais. Precisa repercutir, dar audiência, mas precisa também oferecer conteúdo de qualidade. Sempre procurei contextualizar a notícia para que as pessoas fossem informadas e pudessem fazer alguma reflexão.

4) Recentemente, você saiu do Jornal da Alterosa com o convite para atuar como repórter e redatora do Vrum. Como foi (e está sendo) essa mudança?
Um programa nacional tem exigências muito diferentes. Tudo precisa estar impecável. Ainda estou me acostumando a usar meu tempo para dar melhor acabamento aos materiais. A equipe é pequena, mas muito talentosa. Existe também o desafio de lidar só com um tema, automóveis. Você precisa saber tudo sobre ele, o que ainda não é meu caso. Ainda!!!! Estou contando com a paciência de todos.

5) Você sentiu muita diferença quando voltou a fazer reportagem na rua?

A volta à reportagem de rua foi mais natural do que pensava. Como sempre gostei de cavar notícia, nunca perdi esse timing!!! Eu acho, né?

6) Helena, você já teve a experiência de dar aula em pós-graduação. Como foi esse experiência? Pensa em algum dia voltar a dar aula ou ainda lecionar para graduandos em jornalismo?


Dar aulas foi algo pontual para mim. A necessidade de atualização me fez ler muito, estar ligada a outros conteúdos e formatos de TV. Estou com saudade, mas agora preciso esperar minha filha crescer um pouco. Ela tem nove meses!


7) O que você acha do mercado para os futuros jornalistas: há realmente uma saturação em contratação em grandes veículos? Qual a dica que você dá para quem tá começando ou para quem quer exercer o telejornalismo?


Quem tem jeito para coisa, tem raciocínio rápido e escreve bem sempre vai ter lugar. Basta fazer a pessoa certa saber disso.



Veja também:


- Equipe do programa Vrum





Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, curta a Fan Page no Facebook, circule o blog no Google Plusassine a newsletter e participe da comunidade no Orkut.








Jornalista

MAIS CAFÉ, POR FAVOR!

26 comentários

  1. Primeiro comentário?!? Espero que sim, rs.

    Considero a Helena Barone uma excelente profissional e verdadeira referência para os jornalistas mineiros e estudantes de comunicação que pretendem se “aventurar” na TV.
    Sempre ficava perplexo ao observar a postura dela diante das câmeras: impecável. Durante esse tempo à frente do Jornal da Alterosa, tenho certeza de que a Helena cumpriu sua função de maneira mediúnica, demonstrando seriedade, compromisso e respeito para com os telespectadores mineiros.

    Wander, parabéns pela entrevista.

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Maria Eduarda Oliveira19 de set de 2008 19:42:00

    Wander, não conheço a Helena pessoalmente, mas, assim como vc fiquei anos e anos almoçando com ela na frente da TV. Admiro o trabalho e, sem demagogia, faz falta ao telejornal ouvir os editoriais que ela fazia com tanta humanidade e segurança. Parabéns pela entrevista, meu querido. O Café cada dia melhor...estou torcendo pro blog ganhar o The Bobs 2008! Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Ai que delícia de entrevista! Agora fiquei mais fã da Helena.

    ResponderExcluir
  4. Vai fazer um Café bão assim lem casa, viu! Aqui só tem notícia quente. Trazer a Helena para entrevista foi uma ótima idéia. è bom até para que as pesoas parem com essa cisma de que ela é má pessoa. O problema é que ela gosta de coisas bem feitas. Quem não gosta? E gente ruim de serviço que não tem talento nem qualidade, fala pelas costas pra poder viver. Helena é top aqui em Minas. O Vrum ganhou muito com a ida dela pra lá.

    ResponderExcluir
  5. Infelizmente eu não a conheço, mais pelo q vi aq, ela trabalha bem e é bstante admirada!!
    Beeeijos

    ResponderExcluir
  6. e ae grande Wander tranquilao?
    po otima entrevista heim
    bacana mesmo
    cada vez mais eu ando curtindo seu blog
    show de bola mesmo
    grande abraço amigo

    http://nalinhadefundo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. blog mui bem estruturado..
    parabens..e obrigado pelo coment no nosso blog..eh q estamos no inicio e cada ajuda eh importante..
    fica ai o link

    http://mundosaturado.blogspot.com/
    vlwss

    ResponderExcluir
  8. Olá, Wander, tudo bem? Como sou de São Paulo e não conheço a Sra. Helena, acompanhei a entrevista mais pelo prazer de ler um texto bem escrito. Você deixou um comentário em meu blog, o http://carlosbueno.zip.net/, e vim retribuir-lhe a visita. Volte sempre por lá...assim como voltarei sempre por aqui. Um abraço.

    ResponderExcluir
  9. minha prima me mandou o link do teu blog , nao deu mt tempo pra ler aqui, mais colei e salvei tudo no ipod pra ler depois, wlw

    www.poiszee.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. bom não conheço muito da Helena...jah vi uma ou duas vezes, porem pelo visto ela eh uma otima profissional!

    ResponderExcluir
  11. Compadre, adorei conhecer a história da Helena Barone e, apesar de não conhecê-la ainda, me pareceu uma profissional de peso realmente.
    A matéria toda está de primeira qualidade, primeiro pela contextualização biográfica e depois pela própria entrevista que foi completa e elucidativa. As fotos, em cima do ponto, quer dizer, show de reportagem de novo, né compadre? hehehehe
    Vaya profesional ese amigo mío!
    TQM
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Ola Wander, como prometi, estou de volta por aqui para prestigiar o seu blog.

    Como sou de São Paulo nunca ouvi falar dessa jornalista, mas pelo que vi aqui, é bastante respeitada e mestre no que faz.

    Parabéns pela valorização dos profissionais da sua terra.

    Abçs!!!!!

    ResponderExcluir
  13. Infelizmente os paulista não tem o privilégio de ter a Helena na telinha.
    Pela entrevista parece ser muito boa repórter.

    ResponderExcluir
  14. Não conhecia essa jornalista! Aqui em São Paulo, ainda não havia escutado nada sobre ela! E a prieira referência, aqui no Café, é excelente! uma entrevista bem interessante! E concordo com a resposta dela sobre a qualidade da TV aberta, afirmando que a TV precisa de audiência, mas precisa de uma programação com qualidade. Aliá,s qualidade hoje em dia é o que falta,m a não ser no quesito "sexualidade, erotização", por que a cada dia fica mais fácil ver cenas eróticas na TV aberta e em horários inadequados...

    ResponderExcluir
  15. Wander,

    concordo com ela. Acho que a TV aberta tem um compromisso muito grande em ter audiência e isso faz com que a qualidade seja algo flutuante. ela não entrou na discussão por questões éticas (deu para perceber), mas acho que é isso mesmo.
    A TV por assinatura mantem uma qualidade dentro da diversidade de oferta de programas, não pelas coisas em si. A Fox, por exemplo, gera conteúdo para uns 3 canais e repete à exaustão o conteúdo. No meio de tanto sai muita coisa boa, mas muita porcaria também.
    Gostei da entrevista
    (além de ela ser uma mulher muito bonita e é sempre agradável de se ver isso) rs
    Abraços

    ResponderExcluir
  16. Olá, Wander, leitores do Blog.

    Estou feliz em conversar com todos, repercutir assuntos polêmicos como a programação da TV aberta.

    Adorei a experiência da entrevista num blog, ainda mais neste que está muito atualizado! Muito obrigada pela oportunidade.

    Recado para o pessoal de SP que comentou a entrevista: o programa Vrum vai em rede nacional. Todo domingo, 8h. Num dia em que acordarem cedo, a gente se encontra lá...

    Abs, Helena Barone

    ResponderExcluir
  17. Ótima entrevista.
    Vim retribuir sua visita e agradecer pelo comentário elogioso que deixou em meu blog.
    Desejo que tenha um ótima semana.

    ResponderExcluir
  18. Amigão, vim deixar um beijinho especial pelo apoio hoje, viu?
    Muiiito obrigada!
    Bjkas!

    ResponderExcluir
  19. Muito boa e pertinente a entrevista, Wander. Ainda mais sendo a entrevistada, Helena Barone, uma pessoa sensata. Para mim, que estou no início de uma longa caminhada na profissão de jornalista, foi positivo observar suas respostas, especialmente quando fala da TV aberta e do mercado de trabalho.

    Até mais!

    ResponderExcluir
  20. Wander,

    Primeiramente, parabéns pelo escolha da entrevistada. A Helena Barone demonstrou ao longo dos doze anos à frente do Jornal da Alterosa, e, em funções diversas, competência, feeling, sensibilidade ao tratar de assuntos geradores de polêmica e/ ou delicados, e além disso, talento.

    Quanto à discussão acerca da TV aberta, temos um ponto interessante e, ao mesmo tempo, preocupante. De fato, muitas emissoras se entregam de corpo e alma aos índices de audiência, se abstendo de uma linha editorial e estilística. Contudo, está nos profissionais desses veículos, a escolha entre o bem informar e o apenas informar.

    Quem dá o tom da notícia, do relato , da reportagem são aqueles que entram em contato direto com ela. E deixar de lado a qualidade frente ao resultado, não me parece se quer uma solução imediatista.

    Temos que prezar, acima de tudo, pela nossa imagem.

    Devemos ponderar e analisar os processos que circundam os programas e jornais antes de levantar quaisquer tipos de julgamentos, quase sempre errôneos, pois, somos neste caso, receptores de um produto acabado ou em constante renovação.

    Wander, show de entrevista! Parabéns e abraços!
    ___________________________________
    http://semfronteirasnaweb.blogspot.com

    ResponderExcluir
  21. Wander,

    Ainda não conhecia o trabalho da Helena Barone, mas é notável sua desenvoltura e talento para o ramo.
    A entrevista me ajudou bastante, afinal sou estudante de jornalismo.

    Bom trabalho e sucesso.

    Abraço

    ResponderExcluir
  22. Eu já vi ela no jornal da Alterosa, talentosa ela.
    Jornalismo é uma das opções de curso que acho que vou tentar, bem, pelo menos me ajudou bastante!

    ResponderExcluir
  23. Não gosto da Helen Barone. Nem de nada relacionado à TV Alterosa. Acho que é birra minha mesmo, sei lá, não gosto muito do jornalismo no estilo deles. Mas... cada um é cada um. Acho que acabei tomando birra do "jornalismo esportivo" que eles fazem, fazendo piada de tudo e não levando as coisas a sério que acabei tranferindo essa antipatia pra todos os setores da casa. Ma se ela tá há tanto tempo no mercado, mostra que tem competência.
    Cara, vc como jornalista formado e já aí labutando no mercado peço sua opinião no meu último post. Será de fundamental importância. E espalhe as colegas e aspiras...
    Abraço
    http://falandoprasparedes.blogspot.com/

    Jornalistas: Com ou Sem o tal do diploma???

    ResponderExcluir
  24. Legal não conhecia a Helena Barone, apesar de acessar muitas vezes o site vrum, para pesquisas para o Blog Carburado. Porem assisti poucas vezes o programa na TV.
    Vim retribuir a visita e comentário a meu blog.
    Um abraço,

    ResponderExcluir
  25. Muito bom a iniciativa.
    Não conheço outro blog que já tenha feito algo igual.
    Quanto a Helena Barone, confesso que ainda não conhecia, mas percebo que possui competência profissional, conforme relatado aqui.
    O tom da entrevista, que pondera assuntos do mercado de trabalho, foi relevante ao passo que torna mais palpável as informações acerca do conteúdo.
    Valeu,
    All3X

    ResponderExcluir