8 de março de 2013

Ex-goleiro Bruno é condenado a 22 anos e três meses de prisão

sexta-feira, março 08, 2013 - 2 Comentários

Foto: Renata Caldeira / TJMG.



Foram muitas versões. Uma investigação que durou quase três anos e uma série de reviravoltas. No entanto, o caso não terminou. Um dos primeiros desfechos se deu na madrugada desta sexta-feira (08/03), quando a juíza Marixa Rodrigues, do 1º Tribunal do Júri de Contagem (MG), finalmente, deu ao ex-goleiro Bruno Fernandes das Dores de Souza, de 28 anos, a sentença pelo envolvimento na morte da ex-amante dele, Eliza Samúdio, que na época tinha 25 anos.

Bruno foi condenado a 22 anos e três meses de prisão. Segundo o Tribunal de Justiça, 17 anos e seis meses da pena são em regime fechado, pelo homicídio triplamente qualificado de Eliza, e outros três anos e três meses são em regime aberto que correspondem ao sequestro e cárcere privado do filho de Eliza com o ex-goleiro. No Tribunal, foi levantado pela promotoria da intensão de Bruno de também matar a criança que hoje está com três anos e mora com avó materna, Sônia Samúdio, mãe de Eliza.

Durante a leitura da sentença, a juíza Marixa Rodrigues afirmou que Bruno "demonstrou ser uma pessoa fria, violenta e dissimulada" e acrescentou que a sociedade reconheceu o envolvimento dele como mandante na "trama diabólica". Mesmo com esse desfecho, o corpo de Eliza Samúdio até hoje não foi localizado. Nos bastidores, existe a hipótese investigativa de que parte do corpo de Eliza teria sido concretado em um barril e jogado em açude em Vespasiano e outra parte dado para os cachorros comerem.
Foto: Renata Caldeira / TJMG.

A ex-esposa de Bruno, Dayanne de Souza, de 25 anos, acusada pelo crime de sequestro e cárcere privado de Bruninho, filho de Eliza com o ex-goleiro, foi absolvida. A Promotoria alegou que Dayanne teria sido coagida a ficar com a criança, enquanto Bruno e os demais envolvidos estavam arquitetando um jeito de também se desfazer do menino. Ainda, o promotor Henry Wagner argumentou que o motivo do crime se deu pela negativa de Bruno a querer pagar pensão ao filho dele com Eliza, cuja morte da ex-modelo ocorreu em 10 de junho de 2010, em Vespasiano, na Grande BH.

O Julgamento dos envolvidos com a morte de Eliza Samúdio ainda não terminou. O próximo réu a ser julgado será o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola. Ele foi denunciado como o executor de Eliza e apontado por Bruno como o matador contratado. Em maio, serão julgados por sequestro e cárcere privado de Bruninho, Wemerson Marques de Souza e Elenilson Vítor da Silva, que trabalhavam para o ex-goleiro.

Abaixo, confira uma parte da sentença lida pela Juíza:
Foto: Marcelo Albert / TJMG.

A culpabilidade dos crimes é intensa e altamente reprovável. O crime contra a vida praticado nestes autos tomou grande repercussão não só pelo fato de ter entre seus réus um jogador de futebol famoso, mas também por toda a trama que o cerca e pela incógnita deixada pelos executores sobre onde estariam escondidos os restos mortais da vítima.

Embora para esta indagação não se tenha uma resposta, certamente pela eficiência dos envolvidos, a sociedade de Contagem que em outro julgamento já tinha reconhecido o assassinato da vítima, hoje reconheceu o envolvimento do mandante na trama diabólica. A investida do réu contra a vítima não foi a primeira vez, mas certamente foi a última. Ficou cristalino o interesse do réu em suprimir a vida de Elisa Samúdio. Agiu sempre de forma dissimulada da sua real intenção.
Foto: Marcelo Albert / TJMG.

Assim Elisa foi sequestrada no Rio de Janeiro e trazida cativa para o sítio em Esmeraldas, onde ficou por quase uma semana esperando a operacionalização de sua morte. O desenrolar do crime de homicídio conta com detalhes sórdidos e demonstração de absoluta impiedade.

A culpabilidade é pelos mesmos motivos, igualmente acentuada em relação ao crime de sequestro tendo como vítima a criança Bruno Samúdio, sendo igualmente intensa e reprovável em relação ao crime de ocultação de cadáver. O réu Bruno Fernandes acreditou que consumindo com o corpo, a impunidade seria certa.
Para ler a sentença completa, clique aqui.




Gostou do Café com Notícias? Então, siga-me no Twitter, curta a Fan Page no Facebook, circule o blog no Google Plusassine a newsletter e participe da comunidade no Orkut.




Jornalista

  • Compartilhar:

Sobre o autor

Wander Veroni é jornalista especializado em Mídias Sociais e um entusiasta do empreendedorismo na web. Para segui-lo, basta acompanhar @wanderveroni e @cafecnoticias.
Veja outras postagens →

Mais café, por favor!

2 comentários :

  1. É revoltante ver que o Bruno, mandante do crime, pegou só 22 anos de prisão. Essa Juíza foi muito tolerante ao dar essa pena. Acho que deveria ser mais de 30 anos.

    ResponderExcluir
  2. Francisco Bertoletta8 de mar de 2013 15:55:00

    Esse Bruno merece ser espancado na cadeia, uma vez que a Juíza deu uma pena leve...só assim ele poderá diminuir a dor da família da Eliza de ter perdido ela de uma forma tão horrorosa.

    ResponderExcluir

E-mail Newsletter

Cadastre seu e-mail e seja o primeiro a ficar sabendo o que rola no Café com Notícias

Adaptado por Giselle Carvalho | Imagem Header Crédito Psyho .
back to top